Terroristas podem implantar bombas no corpo para atacar, alertam EUA

De acordo com autoridade americana, militantes considerar implantar explosivos cirurgicamente para ataques terroristas

iG São Paulo |

Terroristas estão exibindo interesse cada vez maior em usar bombas cirurgicamente implantadas no corpo a fim de explodir um avião de passageiros, embora não haja indicação de que um ataque esteja iminente, disse uma autoridade da área da segurança dos Estados Unidos, citando novas informações da inteligência. 

As autoridades dos EUA advertiram seus colegas no exterior e as companhias aéreas sobre as novas informações e estão tomando medidas para aumentar a segurança. “O Departamento de Segurança Interna identificou uma ameaça em potencial de terroristas que podem considerar implantar cirurgicamente explosivos ou componentes explosivos em humanos para conduzir ataques terroristas", disse o alerta para os estrangeiros, de acordo com a autoridade de segurança norte-americana.

De acordo com a autoridade, que falou sob condição de anonimato, um alerta como esse geralmente vem de núcleos de inteligência no exterior e não de órgãos que cuidam da segurança interna, mas as precauções foram tomadas em ambos os lados.

Bin Laden

Autoridades americanas têm estado em alerta depois que as forças dos EUA mataram o líder fundador da Al-Qaeda Osama bin Laden em maio, intensificando a segurança nos aeroportos, nos prédios do governo e outras instalações para o caso de um ataque em relatiação à sua morte.

A autoridade não quis dizer se as novas informações da inteligência provinham de documentos coletados no complexo no Paquistão onde Bin Laden foi encontrado e morto.

O nível de alerta aumentou depois de um nigeriano ter sido preso em dezembro de 2009, acusado de tentar explodir uma bomba escondida na cueca a bordo de um avião que ia de Amsterdã para Detroit e, em outubro, cartuchos de tintas para impressora com explosivos terem sido enviados a bordo de aviões de carga com destino aos EUA, mas interceptados e desativados no exterior antes da explosão.

Depois dessas tentativas, as autoridades da segurança aérea dos EUA reforçaram a vistoria de passageiros e das cargas, exigindo que os viajantes tenham seus sapatos submetidos a raios-X, passem por scanners corporais e restringindo os líquidos autorizados na cabine.

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: terroristasexplosivosaviãobombaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG