Terroristas marroquinos detidos em Milão tinham praça como alvo no Natal

Roma, 3 dez (EFE).- Os terroristas marroquinos que foram detidos na terça-feira na província de Milão tinham como alvo atacar a Piazza del Duomo, entre outros lugares, durante o Natal, informa hoje a imprensa local.

EFE |

A informação procede de conversas telefônicas interceptadas pela Polícia e mantidas pelos detidos, Rachid Ilhami, de 42 anos, e Abdelkader Ghaffir, de 31 anos.

Os dois acusados de terrorismo internacional freqüentavam um centro islâmico em Macherio (Milão) e tinham residência italiana.

Além deles, há outras 10 pessoas investigadas.

Os marroquinos pretendiam cometer ataques na Piazza del Duomo de Milão, edifícios militares e civis, como os quartéis do Exército de Perrucchetti e dos Carabinieri (Polícia militarizada) de Giussano, um estacionamento e um bar de Seregno, todos eles na província de Milão.

Os detidos queriam cometer atentados na Itália porque, segundo diziam, "não é preciso ir ao Afeganistão para se sentir da Al Qaeda, podemos combater aqui".

A conversa sobre a explosão da Piazza del Duomo foi mantida em 16 de outubro à noite, e nela Abdelkader dizia a Rachid que no local, no Natal, "pode explodir as pessoas que encontrar pela frente".

A detenção dos marroquinos, cujo planejamento de atentados estava muito avançado, mas ainda não tinham entrado na fase operacional, causou preocupação no Governo.

O Ministro do Interior italiano, Roberto Maroni, expressou "preocupação com esta situação nova" e garantiu uma atenção à segurança altíssima.

Os marroquinos já estavam preparando artefatos explosivos artesanais com garrafas de oxigênio, graças a manuais obtidos em sites.

Os dois marroquinos também realizavam atividades de divulgação extremista e tentavam recrutar outros cidadãos islâmicos para se juntar à célula. EFE cps/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG