Terroristas de Mumbai planejavam atentado em área governamental

Nova Délhi, 18 abr (EFE).- O grupo terrorista que, em novembro, cometeu um atentado na cidade de Mumbai pretendia atacar uma área residencial governamental, afirmou hoje a Promotoria no julgamento do único terrorista capturado vivo, o paquistanês Mohammed Ajmal Amir, apelidado de Kasab.

EFE |

As agências indianas informam que o promotor Ujjwal Nikam disse que Kasab e o integrante do comando que o acompanhava, Abu Ismail, queriam ir para o bairro residencial de Malabar Hill, no sul de Mumbai, após terem atacado a estação de trem Victoria Terminus.

Nikam baseou a afirmação na confissão de 40 páginas de Kasab, que, na sexta-feira, se retratou perante o juiz da declaração feita e alegou ter sido torturado pela Polícia indiana.

"Após cometer ataques na estação Chhatrapati Shivaji Terminus essa tarde, a dupla pretendia ir a Malabar Hill", disse o promotor.

Os dois terroristas fugiram da estação em um carro roubado, mas as forças de segurança bloquearam o caminho e começou uma troca de tiros no qual Ismail foi morto, enquanto Kasab foi detido.

Os detalhes do ataque frustrado não vazaram, já que o plano só era conhecido por Ismail, segundo o relato do promotor.

Nikam explicou que a declaração de Kasab também revela que o atentado foi planejado em território paquistanês.

Em 26 de novembro, um comando terrorista de dez pessoas atacou hotéis, restaurantes, uma estação de trem, um centro religioso judeu e um hospital, matando 179 pessoas. EFE mb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG