Terrorista suicida mata 9 e fere 40 na Ossétia do Norte

(acrescenta novos dados e nova versão oficial dos fatos) Moscou, 6 nov (EFE).- Um terrorista suicida matou hoje nove pessoas -incluindo ele próprio- e feriu outras 40 em um atentado em Vladikavkaz, capital da Ossétia do Norte, república da Rússia na região do Cáucaso, segundo confirmaram as autoridades locais.

EFE |

Anteriormente, as autoridades haviam dito que 11 pessoas morreram na explosão, enquanto a Procuradoria, que confirmou o atentado terrorista, falava em pelo menos oito mortos e mais de 20 feridos.

"Não há nenhuma dúvida de que se trata de um atentado terrorista, porque no local se acharam restos de uma bomba", disse Chermén Zanguiev, representante da Procuradoria da Ossétia do Norte, citado pela agência "Interfax".

Zanguiev afirmou que, supostamente, a explosão aconteceu junto a um ponto de ônibus, em uma das ruas mais movimentadas da cidade, e não dentro de um microônibus, como se achou em um primeiro momento.

"É provável que a explosão tenha ocorrido na altura da cintura de uma pessoa, que subia ou se aproximava ao microônibus", acrescentou Zanguíev, acrescentando que a potência da bomba equivaleu a entre 300 e 500 gramas de TNT.

Por enquanto, acrescentou ele, se sabe que entre os mortos há seis mulheres, entre elas uma adolescente de 15 anos.

"No local da explosão se encontrou a cabeça do suposto terrorista suicida", indicou, por sua vez, o presidente da Ossétia do Norte, Teimuraz Mamsurov, confirmando que a explosão aconteceu fora do microônibus, já que no interior não havia marcas de instalação da bomba.

O Governo da Ossétia do Norte anunciou que prestará toda a ajuda necessária às famílias das vítimas e, após presidir uma reunião urgente dos serviços de segurança, declarou no próximo sábado dia de luto oficial.

De Moscou, o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, determinou que o Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KGB) investigue os fatos em Vladikavkaz, enquanto ordenou que se redobrem as medidas de segurança em toda a região.

Aleksandr Bórtnikov, diretor do FSB, já havia advertido, em 14 de outubro, durante uma reunião do Comitê Antiterrorista Nacional, da ameaça de atentados terroristas no Cáucaso Norte.

"O Comitê Antiterrorista Nacional foi informado da ameaça de possíveis atos terroristas nas zonas adjacentes às (regiões separatistas georgianas de) Abkházia e Ossétia do Sul, assim como da intenção de grupos clandestinos de desestabilizar a situação no Cáucaso Norte", declarou então.

A Ossétia do Norte é uma república russa, vizinha da Chechênia, e da Ossétia do Sul, região separatista georgiana cuja independência foi reconhecida pela Rússia no final de agosto passado após o conflito bélico com a Geórgia.EFE egw-bsi/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG