Terrorista marroquino é absolvido de uma segunda acusação

Rabat, 5 fev (EFE).- O Tribunal de Apelação de Salguei -próximo à capital marroquina Rabat- absolveu hoje da acusação de participação em grupo terrorista Hassan el Haski, já condenado na Espanha pelos atentados que mataram 191 pessoas em 11 de março de 2004 em Madri, informou à Agência Efe seu advogado, Khalil Idrisi.

EFE |

Haski, para quem a Procuradoria Geral do Rei do Marrocos havia pedido 16 anos de prisão, era acusado de "associação de malfeitores para preparar e cometer atos terroristas dentro de um projeto coletivo para atentar contra a ordem pública por meio do medo, do terror e da violência".

Idrisi explicou que a Procuradoria deverá recorrer da sentença.

s magistrados do Tribunal de Salguei estimaram que os elementos apresentados pela acusação não eram suficientes para condenar El Haski.

O Ministério Público baseou sua alegação nas declarações à Polícia de diversos integrantes do Grupo Combatente Islâmico Marroquino, que vincularam El Haski, de 41 anos, com suas atividades, entre elas uma série de atentados que matou 40 pessoas em maio de 2003, em Casablanca.

A Audiência Nacional espanhola concordou, em 23 de setembro do ano passado, em entrega El Haski ao Marrocos durante seis meses para ele ser processado.

Após este período, ele deve retornar a uma prisão espanhola para cumprir sua pena de 14 anos por envolvimento nos atentados de 11-3 em Madri.

O advogado dele acrescentou que deve apresentar um recurso para que seu cliente possa cumprir em uma prisão marroquina o restante da pena pela qual foi condenado na Espanha. EFE er/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG