Terrorista líbio solto pela Escócia reitera inocência

Londres, 22 ago (EFE).- O terrorista líbio libertado na quinta-feira pela Escócia por motivos humanitários insistiu em sua total inocência, em entrevista publicada hoje pelo diário britânico The Times e concedida em Trípoli.

EFE |

Cercado em casa pelos cinco filhos e a mulher, Abdelbaset Ali, Mohammed Al-Megrahi, que sofre de um câncer em fase terminal, qualificou sua condenação à prisão perpétua de um equívoco da Justiça.

"Se existisse justiça no Reino Unido, seria absolvido ou meu veredicto seria revogado. Foi um erro judicial", diz Megrahi, que prometeu que, antes de morrer, apresentaria através de seus advogados escoceses provas de sua inocência.

O líbio, no entanto, disse que não é ele que "precisa responder", quando perguntado sobre quem foi o responsável pela morte de 270 pessoas no atentado terrorista de 1988 contra um avião de Pan Am, pelo que foi condenado há oito anos.

Megrahi negou que a Líbia tenha estado por trás do atentado, o pior de toda a história do Reino Unido em número de vítimas.

O líbio disse compreender as famílias das vítimas por estarem furiosas por sua libertação, após cumprir apenas oito anos da prisão perpétua.

"Acham que sou culpado, embora não seja. Um dia a verdade não seguirá tão oculta como está agora. Temos um provérbio árabe que diz que a verdade nunca morre", comentou. EFE jr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG