Terrorista de Lockerbie pode ser solto hoje na Escócia

Londres, 20 ago (EFE).- A única pessoa condenado pelo atentado terrorista de Lockerbie, que deixou 270 mortos, 189 deles americanos, pode ser posto em liberdade ainda hoje na Escócia.

EFE |

O ministro da Justiça escocês, Kenny MacAskill, já tomou uma decisão a respeito, e tudo aponta que será a favor do líbio Ali Mohammed Al-Megrahi, de 57 anos, que sofre de um câncer em fase terminal.

O diário "The Times" informa hoje que o próprio chefe de Estado da Líbia, o coronel Muammar Kadafi, enviará seu avião particular para repatriar o compatriota.

Durante os últimos dias, o Governo dos EUA e vários legisladores americanos pressionaram publicamente as autoridades escocesas para que não ponham em liberdade o líbio, condenado à prisão perpétua em 2001.

No entanto, aos motivos humanitários que forçam a libertação do líbio, que segundo médicos tem poucas semanas de vida, se somam, segundo insinua a imprensa britânica, interesses petroleiros.

Três importantes empresas britânicas, Shell, BP e BG, assinaram durante os últimos anos acordos para desenvolver projetos na Líbia relacionados com a exploração de gás e petróleo.

O príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, visitou quatro vezes a Líbia nos dois últimos anos para se reunir com o coronel Kadafi.

Megrahi, ex-agente dos serviços de inteligência líbios, foi declarado culpado do atentado cometido em 1988 contra um Boeing da companhia americana Pan Am, que fazia o trajeto Frankfurt-Nova York.

O avião caiu em Lockerbie, município escocês de pouco mais de quatro mil habitantes, depois da explosão de uma bomba colocada a bordo.

Seus 259 ocupantes, além de 11 moradores da pequena cidade, morreram no que foi o pior atentado terrorista ocorrido no Reino Unido. EFE jr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG