Cairo, 28 nov (EFE).- O egípcio Ayman al-Zawahiri, considerado o número dois da rede terrorista Al Qaeda, , apareceu hoje em um novo vídeo, no qual diz que a crise econômica dos Estados Unidos tem sua origem, entre outras razões, nos ataques de grupos radicais no Iraque e no Afeganistão.

No vídeo, divulgado por um fórum de internet islamita, Zawahiri, vestido de branco, é entrevistado por uma pessoa que não aparece nas imagens.

Além da entrevista, o vídeo exibe imagens de presos de Guantánamo, soldados americanos e vítimas de bombardeios.

"A economia moderna foi destruída pelos ataques dos mujahedin ("aqueles que fazem a 'Jihad'", em árabe) e pela usura", afirma Zawahiri na gravação, de uma hora e meia de duração e com legendas em inglês.

Também diz que a economia americana sofreu a falta de confiança a partir dos ataques contra as torres gêmeas de Nova York e propõe aos americanos que se convertam ao Islamismo para viver sem "avareza nem explorações".

Esta é a segunda gravação de Zawahiri divulgada este mês. Em 19 de novembro, em uma alocução de rádio editada junto com imagens na internet, Zawahiri utilizou adjetivos racistas para se referir ao presidente eleito, Barack Obama, que chamou de "um negro que serve aos brancos".

Nesta mensagem, o braço direito de Osama bin Laden disse que Obama teria "a mesma sorte" que o atual presidente americano, George W. Bush, se enviasse mais tropas ao Afeganistão, como afirmou em sua campanha à Casa Branca, "uma política destinada ao fracasso antes de nascer", segundo ele.

"Entre, que os cachorros do Afeganistão acharão deliciosa a carne de teus soldados, portanto mande milhares e milhares", ameaçou o terrorista. EFE ag/ab/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.