Dois terremotos que atingiram a região do Himalaia tibetano deixaram pelo menos 30 mortos, de acordo com informações da imprensa estatal chinesa. Os abalos atingiram áreas a 16 quilômetros de distância uma da outra e com um intervalo de 15 minutos.

A região, pouco populosa, fica a 84 quilômetros ao oeste da capital do Tibete, Lhasa.

De acordo com o centro americano de monitoramento geológico Geological Survey, a magnitude do primeiro terremoto foi 6.6, e a do segundo, 5.1.

Muitas casas perto do epicentro do terremoto, na província de Damxung, desabaram - segundo a agência oficial de notícias chinesa, Xinhua.

A região tem uma população de cerca de 42 mil pessoas, a maioria pastores.

Escombros
O diretor do departamento de sismologia do Tibete, Zhu Quan, disse que as autoridades ainda estão tentando determinar o número exato de vítimas.

Oficiais da província de Damxung disseram que ainda há pessoas enterradas sob os escombros.

O terremoto sacudiu prédios em Lhasa, levando trabalhadores de escritórios a correr para as ruas.

Entretanto, não há registros de vítimas na cidade, e os danos às construções são mínimos. Lojas permanecem abertas, trens e transportes aéreos não foram afetados.

Os tremores no Tibete - às 16h30 (horário local) - ocorreram após um abalo com magnitude 6,6 ter atingido o vizinho Quirguistão, perto da fronteira com a China, deixando pelo menos 65 mortos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.