Terremoto secundário de 6,7 graus atinge o Chile

SANTIAGO DO CHILE - Um terremoto secundário de 6,7 graus de magnitude na escala Richter na noite desta segunda-feira gerou temor nas cidades chilenas de Concepción e Talcahuano, duas das mais castigadas pelo terremoto principal de 27 de fevereiro, apesar de até o momento não haver informações sobre vítimas ou danos materiais.

EFE |

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o abalo aconteceu às 23h22 pelo horário local (o mesmo de Brasília), e o epicentro ficou a 75 quilômetros a noroeste de Concepción, segunda cidade mais povoada do país, cerca de 520 quilômetros ao sul de Santiago.

O Escritório Nacional de Emergência (Onemi, na sigla em espanhol) informou que o Serviço Hidrográfico Oceanográfico da Armada (SHOA) descartou alerta de tsunami para a região.

No entanto, segundo informou a imprensa local, muitas pessoas em Concepción e na cidade portuária de Talcahuano, distantes entre si cerca de 15 quilômetros, fugiram apavoradas em direção a colinas que ficam próximas.

Além disso, houve cortes de energia elétrica e nas redes de telefonia celular.

No terremoto de 27 de fevereiro, que causou quinhentas mortes segundo o balanço oficial provisório, a falta de coordenação entre o SHOA e a Onemi fez com que a população não fosse alertada oportunamente do risco de tsunami, o que gerou certa desconfiança em relação às informações prestadas pelas autoridades.

O terremoto secundário registrado nesta segunda é um dos mais fortes nas últimas duas semanas, junto com os ocorridos no último dia 11, quando o presidente Sebastián Piñera tomou posse, e houve movimentos entre 4,9 e 6,9 graus na escala Richter.

Depois da forte réplica desta segunda-feira houve segundo tremor de 5,5 graus às 0h04, com epicentro no mesmo lugar. EFE mf/fm

    Leia tudo sobre: terremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG