Terremoto no Japão deixa seis mortos, 90 feridos e 12 desaparecidos

Um terremoto violento afetou o Japão neste sábado e deixou um saldo de seis mortos, pelo menos 90 feridos e 12 desaparecidos, além de ter provocado deslizamentos de terra e destruído várias estradas.

AFP |

O tremor, de 7,2 graus na escala Richter, também provovou o vazamento de água radioativa de uma central nuclear, mas a companhia que administra a usina informou que isto não representa perigo para a população.

O terremoto aconteceu às 8H43 locais (20H43 de Brasília, sexta-feira) a 10 km de profundidade, nos limites dos distritos de Iwate e Miyagi (nordeste), a 550 km de Tóquio, onde o abalo também foi sentido.

Os mortos são um pescador de 55 anos arrastado em um deslizamento de terras, um homem de 60 anos atingido por um caminhão, outro de 48 que foi acertado por uma grande pedra na cidade de Oshu e um homem que apareceu morto na montanha, perto de Kurihara.

As autoridades de Kurihara (município de Migayi) informaram ainda que encontraram os corpos de dois dos três trabalhadores que ficaram sepultados sob os escombros de uma obra.

A agência nacional de catástrofes registrou 90 feridos, mas para a imprensa o número passa de 100.

Pelo menos 12 pessoas estão desaparecidas em Kurihara. Quase 29.000 casas na área do epicentro do tremor ficaram sem energia elétrica.

O terremoto principal foi seguido por uma centena de tremores secundários.

A empresa que administra uma central nuclear na região afetada reconheceu que o sismo provocou um pequeno vazamento de água radioativa em suas instalações, mas explicou que a situação não representa perigo para a população.

A Tokyo Electric Power Co. registrou a perda de 14,8 litros de água de um depósito onde ficavam armazenados equipamentos radioativos no reator número dois da central de Fukushima, ao norte do distrito de mesmo nome.

"O nível de radioatividade da água é consideravelmente inferior ao que poderia afetar potencialmente o meio ambiente", disse um porta-voz da empresa. O reator segue em atividade.

Como medida de precaução, o serviço de trens de alta velocidade do norte do país foi suspenso.

Centenas de pessoas ficaram presas na estação de Sendai, principal cidade do distrito de Miyagi. Muitas enviaram mensagens com os telefones celulares para as famílias para informar que estavam bem.

O tremor também provocou alguns deslizamentos de terra.

Situado na confluência de quatro placas tectônicas, o Japão registra 20% dos terremotos do planeta.

Segundo um estudo publicado em 2006, um terremoto 7,3 graus em Tóquio poderia matar 4.700 pessoas.

O último grande tremor na capital japonesa aconteceu em 1923 e provocou 142.807 vítimas, entre mortos e desaparecidos.

mis/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG