Terremoto no Chile não causa tsunami e alerta é retirado

Autoridades chegaram a dar ordem de evacuação preventiva de uma faixa de 500 quilômetros entre as localidades de Concón

EFE |

As autoridades chilenas descartaram neste domingo o risco de tsunami por causa do terremoto que na tarde deste domingo sacudiu a zona central e sul do país e que teve uma magnitude de 6,8 graus na escala aberta de Richter, segundo o Serviço Sismológico da Universidad de Chile.

AP
Bombeiros inspecionam prédio em Santiago após fortes tremores

Pouco depois do tremor, registrado às 19h38 (horário local, 19h38 de Brasília) e com epicentro a 94 quilômetros a noroeste de Constitución, na região de Maule, o Escritório Nacional de Emergência (Onemi) deu ordem de evacuação preventiva de uma faixa de 500 quilômetros entre as localidades de Concón, na região de Valparaíso, e Lebu, na região de Biobío.

As autoridades aplicaram esta medida porque depois do tremor registrado em 27 de fevereiro de 2010 os protocolos de evacuação foram modificados, para torná-los mais cautelosos. O vice-presidente do país e ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, informou que "há algumas pessoas feridas", mas especificou que as lesões "não são graves".

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) tinha informado que o tremor na zona central do Chile teve magnitude de 7,2 graus, por isso que a Onemi, ao se tratar de um superior a 7 na escala Richter, ordenou a evacuação preventiva no litoral.

No entanto, com os dados posteriores do Serviço Sismológico da Universidad de Chile, que cifravam o tremor em 6,4 graus Richter, e considerando, além disso, que o Serviço Hidrográfico e Oceanográfico da Armada descartou a possibilidade de um tsunami, o Escritório Nacional de Emergência voltou atrás.

Cerca de 7.000 pessoas foram evacuadas em Maule depois que o Governo decretou a evacuação "por razões preventivas". O tremor provocou queda de árvores e alguns fechamentos de lugares.

Os habitantes da região, que foram colocados a 30 metros sobre o nível do mar, já acenderam algumas fogueiras para passar a noite, à espera de que a situação se normalize e se descarte definitivamente algum perigo no litoral.

"Mantemos a evacuação preventiva até novo aviso. Devo esclarecer que até esta hora, as pessoas do litoral nos informa que não voltou a se observar um movimento do mar", assinalou o intendente de Maule, Rodrigo Galilea.

A autoridade regional disse que se avalia a situação "momento a momento" e que quando se tiver a segurança que não há movimentos vai pedir às pessoas que desçam.

    Leia tudo sobre: Chileterremototsunami

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG