Terremoto na Itália deixa pelo menos 16 mortos

Roma - Dezesseis pessoas morreram hoje por causa do terremoto de 5,8 graus de magnitude na escala Richter que sacudiu o centro da Itália durante a madrugada, segundo a rede de televisão Sky Tv.

EFE |

As agências italianas falam de 14 mortos e de "milhares" de evacuados e afirmam que o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, poderia decretar a emergência nacional, embora um porta-voz oficial não tenha confirmado à Agência Efe este extremo.

O porta-voz afirmou que o Governo segue de perto o desenvolvimento dos eventos, em "estrito" contato com a Proteção civil.

Estão confirmados cinco mortos no município de Catelnuevo, dois deles de origem macedônia e três italianos, um em Poggio Picenze, um em Tormintare e dois em Fossa (uma idosa e uma menina).

Aparentemente, quatro crianças morreram quando sua estadia em hospital de São Salvatore dell'Aquila ruiu.

Ainda se desconhece o número definitivo de vítimas entre mortos e feridos, mas alguns meios de imprensa italianos já falam que poderia haver ainda pessoas presas entre os escombros de alguns prédios.

O terremoto aconteceu às 3h32 (22h32 de domingo em Brasília) na província de Abruzos, no centro da Itália, e derrubou alguns edifícios da capital provincial, L'Aquila, uma cidade com uma população de 80 mil pessoas situada ao nordeste de Roma.

O terremoto teve uma magnitude de 5,8 graus na escala Richter e seu epicentro se situou a cinco quilômetros de profundidade, em um ponto situado a poucos quilômetros de L'Aquila, segundo confirmou à Efe um porta-voz do Centro Nacional de Terremotos.

O fato de que o epicentro se situasse em um ponto tão próximo à superfície fez com que fosse mais sentido pela população e tivesse uma intensidade substancial, acrescentou a mesma fonte.

Segundo a imprensa italiana são muitos os edifícios desabados nesta cidade, mas nos municípios próximos poderiam ser muitos mais.

A catedral da localidade sofreu danos e a cúpula da igreja da Alma Santa, situada no centro histórico, caiu completamente.

Um instituto religioso chamado Casa do Estudante ruiu parcialmente e as religiosas do centro saíram para a rua a prestar socorro às pessoas atemorizadas pelo terremoto.

Cerca de 15 mil usuários ficaram sem eletricidade em Abruzos, segundo informou a empresa Enel ao departamento de Proteção civil e a estrada entre Roma e L'Aquila foi fechada pelas autoridades.

Os meios de imprensa italianos informaram que anteriormente ao terremoto se produziram movimentos sísmicos mais fracos na mesma região, ao nordeste da capital italiana e perto também da cidade de Pescara.

Leia mais sobre: terremoto

    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG