Terremoto na Indonésia deixa pelo menos 770 mortos

Subiu para 770 o total de mortos em decorrência de um terremoto de 7,6 de magnitude na escala Richter que atingiu na quarta-feira a Ilha de Sumatra, no oeste da Indonésia, informaram os ministérios de Questões Sociais e da Saúde do país. Nesta quinta-feira, equipes de resgate procuravam encontrar outros sobreviventes embaixo dos escombros.

BBC Brasil |

As autoridades temem que milhares de pessoas possam estar soterradas e o número de mortos pode aumentar. Cerca de 2,4 mil pessoas ficaram feridas após o tremor.

O terremoto de quarta-feira atingiu principalmente a cidade de Padang, capital da Província de Sumatra Ocidental.

Segundo Karishma Vaswani, repórter da BBC em Padang, as autoridades informaram que um shopping center no centro da cidade foi destruído.

Ela afirma que as linhas telefônicas ainda estão cortadas e que o aeroporto da cidade se encheu de pessoas de toda a Indonésia que buscam informações sobre parentes e amigos.

Por volta de 8h52 desta quinta-feira (22h52 de quarta-feira, horário de Brasília), um tremor secundário de 6,6 de magnitude atingiu as proximidades de Padang. Não há ainda informações sobre mortos ou maiores danos.

Resgate
O primeiro terremoto ocorreu à 17h16 de quarta-feira no horário local (7h16 em Brasília), a cerca de 85 km de profundidade debaixo do oceano, ao noroeste de Padang.

Hospitais, escolas e lojas ficaram destruídos, foram registrados deslizamentos de terra e linhas de energia foram cortadas. O fornecimento de eletricidade foi restaurado em algumas áreas de Padang nesta quinta-feira.

O médico David Lange, da organização de auxílio Surfaid International, afirmou à BBC que um hospital em Padang ficou "completamente destruído" e que os médicos estão tendo que improvisar para ajudar as vítimas do tremor.

"Eles estão tentando operar em um estacionamento, em uma barraca, na lama", disse Lange.

Dificuldades
Bob McKerrow, chefe das operações da Cruz Vermelha na Indonésia, afirmou à BBC que os trabalhos de resgate estão sendo dificultados pela destruição causada pelo tremor. A organização mobilizou 400 pessoas para as operações.

"É uma área muito grande para se trabalhar com uma infraestrutura tão ruim. As estradas e pontes estão todas danificadas, temos um grande desafio à frente."
Soldados e funcionários do Ministério da Saúde também desembarcaram na cidade, mas a falta de maquinário para realizar o resgate de soterrados continua sendo um problema.

Comida, remédios e sacos para embalar corpos também foram enviados, assim como barracas para os desabrigados, informou o Ministério da Saúde.

O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, também foi para a cidade para acompanhar os trabalhos.

"Eu peço às equipes de resgate que continuem trabalhando com o claro objetivo de encontrar sobreviventes. Este é um desastre natural, temos que ser fortes para lidar com ele", disse.

Falha geológica
O tremor de quarta-feira aconteceu nas proximidades da mesma falha geológica onde ocorreu o tsunami de 2004, que matou 230 mil pessoas em diversos países da região.

Geólogos já alertavam que Padang fica em uma área perigosa e que poderia ser completamente destruída por sua localização.

A Província indonésia de Sumatra Ocidental é predominantemente rural, com florestas densas e praias populares entre surfistas.

Na terça-feira, uma série de tsunamis provocada por um outro tremor matou mais de cem pessoas na região do Arquipélago de Samoa, no Oceano Pacífico sul.

Segundo autoridades de Samoa (um país independente), aldeias inteiras foram destruídas e milhares de pessoas ficaram desabrigadas na Samoa Americana (território dos Estados Unidos).

O tremor de magnitude de 8,3 na escala Richter ocorreu por volta de 7h40 da manhã desta quarta-feira, no horário local (15h40 de terça-feira em Brasília), criando ondas de 4,5 m de altura em várias áreas da região ao redor das ilhas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG