Terremoto na China deixou na pobreza mais de 1,4 milhão de pessoas

Mais de 1,4 milhão de pessoas vivem na pobreza em povoados remotos da China desde que essa região foi atingida por um forte terremoto no dia 12 de maio, segundo um relatório oficial divulgado nesta terça-feira.

AFP |

"Em muitos condados, as conquistas contra a pobreza das duas últimas décadas desapareceram em segundos", segundo o chefe do Agência Governamental contra a Pobreza, Fan Xiaojian, citado pelo China Daily.

"O dano é massivo e muitos camponeses voltaram à pobreza", acrescentou.

Fan se referiu aos esforços da China para retirar da pobreza milhões de pessoas nas últimas décadas, um êxito aplaudido por organizações internacionais e pelas Nações Unidas.

"Absoluta pobreza" se refere à necessidade urgente de bens essenciais como comida, roupa e abrigos.

O terremoto de 12 de maio que atingiu a província de Sichuan, deixou 70.000 mortos, mais de 17.000 desaparecidos e cerca de cinco milhões de desabrigados.

Com o objetivo de ajudar 1,4 milhão de pessoas em mais de 4.000 povoados remotos, o governo chinês anunciou ajudas no valor de 12 bilhões de yuans (1,75 bilhão de dólares) para a reconstrução de casas e de uma infra-estrutura básica.

Antes do terremoto, calcula-se que viviam em Sichuan 1,2 milhão de pobres, assegurou o jornal citando fontes oficiais.

sai/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG