Terremoto na China deixa oito turistas presos por 26 horas em teleférico

Pequim, 13 mai (EFE).- Um grupo de oito turistas chineses e taiuaneses que estava na região atingida pelo terremoto desta segunda-feira na China ficou preso por 26 horas em um teleférico da cidade de Dujiangyan, informou hoje a agência estatal Xinhua.

EFE |

Os oito turistas, seis de Taiwan e dois chineses, viajavam no teleférico para o Templo de Lingyan, em Dujiangyan, quando a terra tremeu, às 14h28 hora local de segunda-feira (3h28 em Brasília). As vítimas só foram resgatados às 16h15 de hoje (5h15 em Brasília).

A chegada dos bombeiros ao local foi dificultada pela falha nas comunicações com Sichuan - a província mais afetada - e outras adjacentes.

A cidade de Dujiangyan, na lista de Patrimônio Mundial da Unesco, foi uma das mais próximas ao epicentro do terremoto (no distrito de Wenchuan), onde se encontra o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, para coordenar os trabalhos de resgate.

O contato com dois mil turistas que se encontram na região devastada, entre eles 15 britânicos, dois americanos e um tailandês, foi perdido.

O terremoto, de 7,8 graus na escala Richter, é o pior sofrido pela China desde 1976, quando um tremor de terra da mesma magnitude deixou mais de 240 mil mortos em Tangshan.

Pelo menos 9 mil pessoas continuam sob os escombros, 26.200 ficaram feridas e 3,46 milhões de casas foram destruídas, segundo os últimos números do Governo da província de Sichuan. EFE abc/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG