Terremoto movimenta comércio na fronteira entre Haiti e República Dominicana

JIMANI - A movimentação é intensa na cidade de Jimani, na fronteira entre a República Dominicana e o Haiti, neste sábado. Nas ruas, pessoas vendem máscaras, roupas, xampu e todo tipo de mercadoria para quem segue em direção à capital haitiana, Porto Príncipe.

Vicente Seda, enviado ao Haiti |


De carro, a reportagem do iG saiu às 5h30 de Santo Domingo, capital da República Dominicana, e chegou às 13h à fronteira do país com o Haiti. A viagem foi tranquila até chegar a Jimani, onde o trânsito é lento.

Além dos vendedores ambulantes, a reportagem também viu pessoas abanando dinheiro, oferecendo serviço de câmbio aos motoristas. Os supermercados locais também estão lotados, e os mantimentos, acabando.

Um frentista de um posto de gasolina afirmou que, apenas entre sexta-feira e sábado, abasteceu mais de mil carros. Por Jimani passa uma grande quantidade de ambulâncias, carros de ajuda humanitária e caminhões lotados de pessoas que deixam Porto Príncipe em direção à República Dominicana.

Na fronteira, a recomendação é que máscaras sejam usadas em Porto Príncipe, pois helicópteros militares despejam formol pela cidade. O objetivo é evitar infecções, dado o grande número de corpos pelas ruas.

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremototerremoto no haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG