Duas crianças atingidas por um deslizamento de terra provocado por um terremoto morreram nesta quinta-feira na Costa Rica, constatou a AFP.

As duas vítimas fatais, meninas que vendiam balas, foram surpreendidas pelo deslizamento de terra quando caminhavam pelo acostamento de uma estrada, a cerca de 40 km de San José.

Os corpos das meninas, de sete e onze anos, foram encontrados por moradores da região e policiais.

O tremor atingiu a zona central da Costa Rica, incluindo a capital, San José, às 13h21 local (17h21 Brasília), segundo o Observatório de Sismologia da Costa Rica.

O terremoto, de 6,2 graus na escala Richter, deixou ainda vários feridos, danificou prédios e causou cortes no fornecimento de eletricidade em San José, onde vivem cerca de 2,5 milhões de habitantes.

O epicentro foi localizado 4 km a leste do vulcão Poás (situado a 35 km a nordeste de San José), a 6 km de profundidade.

A polícia e os meios de comunicação receberam diversos pedidos de socorro de pessoas retidas em estradas por brechas no asfalto ou deslizamentos de terra.

A Comissão Nacional de Emergências (CNE) decretou o alerta vermelho na grande área metropolitana que envolve as províncias de San José, Cartago, Alajuela e Heredia, "onde ocorreram danos importantes na infra-estrutura, estradas, casas e há até pessoas presas em escombros".

"Prédios públicos, igrejas e bancos sofreram danos, do mesmo modo que estradas. As regiões mais afetadas são Alajuela e Heredia", vizinhas a San José, disse à AFP o porta-voz da CNE Reinaldo Carballo.

As autoridades advertiram para o risco de desmoronamentos sobre as estradas das regiões montanhosas, enquanto tremores de menor intensidade seguem abalando o país.

O Aeroporto Internacional Juan Santamaría suspendeu temporariamente seus voos, informou o porta-voz do terminal.

on/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.