Terremoto derruba muro de prisão e mais de 200 fogem no Chile

Santiago do Chile, 27 fev (EFE).- Mais de 200 detentos escaparam de uma prisão no sul do Chile pela queda de um dos muros do local durante o terremoto de mais de 8 graus na escala Richter que sacudiu hoje o país.

EFE |

O fato foi confirmado à imprensa local pelas autoridades do serviço de prisões, que explicaram ainda que em princípio foram 269 que escaparam, mas os guardas conseguiram capturar 60 deles.

A fuga ocorreu na cidade de Chillán, a 401 quilômetros de Santiago, na região de Bío-Bío, uma das mais afetadas pelo sismo ocorrido às 3h36 locais, que deixou pelo menos 147 mortos segundo fontes oficiais.

O terremoto aconteceu hoje às 3h36 (na hora local e em Brasília) com epicentro na região de Bío-Bío, a 500 quilômetros de Santiago e a 90 quilômetros da capital regional, Concepción.

O Governo chileno confirmou pelo menos 147 mortos na tragédia. O sismo chegou a ser sentido em alguns bairros de São Paulo e teve 8,8 graus de magnitude na escala Richter, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, em inglês).

Entretanto, o Instituto Sismológico da Universidad do Chile afirma que a força foi de 8,3 graus.

O terremoto gerou um tsunami no Oceano Pacífico que chegará ao Havaí pouco depois das 18h (Brasília), como informou a Administração Nacional de Atmosfera e Oceanos (NOAA, na sigla em inglês) A NOAA emitiu ainda um alerta de tsunami para uma ampla área do Pacífico, incluído México, Peru, Equador, Nova Zelândia, Austrália, Rússia, Indonésia, Japão e Filipinas, além do Chile. EFE.

ns/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG