Terremoto de 7,4 graus na escala Richter mata 32 na Indonésia

Juan Palop. Jacarta, 2 set (EFE).- Pelo menos 32 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas em consequência de um terremoto de 7,4 graus de intensidade na escala Richter que sacudiu hoje a ilha indonésia de Java, causando o desabamento de centenas de prédios.

EFE |

Cerca de cinco mil pessoas foram retiradas de suas casas pelas autoridades. Entre os danos registrados às propriedades, casas foram totalmente derrubadas, fachadas e muros racharam e, ainda, paredes e telhados desabaram.

Em Tasikmalaya, a cidade mais populosa próxima ao epicentro do tremor, com cerca de 840 mil habitantes, os moradores viveram cenas de terror quando as casas começaram a balançar durante os quase 20 segundos de duração do terremoto, segundo relatos de testemunhas transmitidos pelos canais de televisão locais.

"No total, 32 pessoas morreram, 305 ficaram feridas e cerca de 40 estão dadas por desaparecidas" disse o diretor do centro de crise do Ministério da Saúde indonésio, Rustam Pakaya.

Um funcionário da agência local de gestão de catástrofes reconheceu a existência de seis cadáveres em Cibinong e outros quatro em Sukanegara, ambos bairros de Tasikmalaya, mas apontou que as informações ainda eram provisórias.

Dados preliminares confirmam que 11 pessoas morreram no distrito de Cianjur, seis em Bandung e seis na localidade de Banjar. As demais vítimas são de Tasikmalaya, ao oeste de Java, e de Jacarta, a capital do país.

De acordo com funcionários do centro de gestão de crise, mais 30 pessoas permaneciam sepultadas sob escombros de casas destruídas de uma aldeia.

As autoridades temem que a situação seja pior nos povoados situados a poucos quilômetros do epicentro, sobre a costa, como o pequeno porto de Pelabuan Ratu, um conhecido destino turístico.

Herman, funcionário do Ministério da Saúde disse que "estamos atendendo muitas crianças e mulheres que sofreram ferimentos graves quando suas casas desabaram".

O Sistema de Alarme e Coordenação de Desastres Globais (GDACS, em inglês) da União Europeia (UE) apontou em um relatório preliminar que este terremoto tem "um impacto humanitário potencialmente alto" e que afetou uma região com uma "grande vulnerabilidade a desastres naturais".

Em Bandung, uma cidade universitária de mais de dois milhões de habitantes e que está distante 104 quilômetros do epicentro, a piscina do hotel de luxo Hyatt rachou e a água invadiu uma sala de reuniões.

Em Jacarta, a quase 200 quilômetros do epicentro, arranha-céus, prédios comerciais, sedes governamentais e alguns shopping centers foram esvaziados diante do temor de novos abalos.

As principais avenidas da capital ficaram bloqueadas porque a maioria dos trabalhadores decidiu concluir de forma precipitada a jornada de trabalho e retornar a suas casas, o que criou um enorme congestionamento que se estendeu por horas.

Segundo informações do centro de crise do Ministério da Saúde, pelo menos 27 pessoas foram atendidas em diferentes centros sanitários da capital com ferimentos causados pelo forte tremor.

Os especialistas estimam que mais de 25 milhões de pessoas, a quantidade de residentes nas áreas dentro do raio de 200 quilômetros do epicentro, sentiram a terra tremer.

Por sua vez, o Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico lançou uma mensagem de alarme diante da possibilidade da formação de uma onda gigante no oceano Índico. O aviso foi cancelado meia hora depois, quando se teve certeza de que um maremoto não iria ocorrer em consequência do tremor.

Nesse intervalo, ao receberem o alerta, as autoridades do distrito de Sidang Barang, na província de Java Ocidental, ordenaram a evacuação de cinco mil moradores do litoral mais próximo ao tremor.

O terremoto ocorreu às 4h55 de Brasília, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que vigia a atividade sísmica mundial e que situou seu epicentro no litoral ao sudoeste de Java.

O terremoto de hoje foi o maior vivido em Java desde o ocorrido em 2006 na cidade de Yogyakarta, que alcançou os 6,2 graus na escala aberta de Richter e matou pelo menos 6 mil pessoas.

A Indonésia está localizada sobre o chamado "Anel de Fogo do Pacífico", uma zona com grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida por cerca de sete mil tremores ao ano, moderados em sua maioria.

Em 26 de dezembro de 2004, um tremor de nove graus gerou um tsunami que castigou 12 de países banhados pelo Oceano Índico e deixou 226 mil mortos, dos quais 170 mil somente na Indonésia. EFE jpm/dm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG