Um terremoto com magnitude de 7,2 graus no Estado de Baja Califórnia, no noroeste do México, no domingo, matou pelo menos uma pessoa e foi sentido na cidade de Los Angeles e no Estado americano do Arizona. A defesa civil da cidade de Mexicali, perto do epicentro do terremoto, disse que um homem morreu quando sua casa desabou.

Várias pessoas ainda estão presas sob escombros e as autoridades declararam estado de emergência na cidade, que tem cerca de 900 mil habitantes.

Segundo o site do jornal Los Angeles Times, a moradora Kassandra Ornelas, de 16 anos disse: "Chacoalhou tão forte que nós pensamos que a terra iria se abrir."
O instituto americano US Geological Survey disse que cerca de 20 milhões de pessoas sentiram o tremor, que foi o mais intenso a atingir a área desde 1992.

Segundo o instituto, o tremor ocorreu às 15h20 (19h20 no horário de Brasília), a 26 quilômetros da cidade de Guadalupe Victoria e a 32 quilômetros de profundidade. Diversos tremores secundários também foram registrados.

Em San Diego, edifícios altos balançaram. Na cidade mexicana de Tijuana o fornecimento de energia elétrica foi interrompido. Muitas pessoas interromperam a celebração de Páscoa em suas casas e correram para a rua na hora em que a terra começou a tremer.

O correspondente da BBC em Los Angeles, Peter Bowes, disse que o tremor durou cerca de um minuto e os bombeiros foram chamados para inspecionar o estado de ruas, pontes e linhas de transmissão.

De acordo com o Los Angeles Times, o Corpo de Bombeiros da cidade americana também atendeu a vários chamados de pessoas presas em elevadores.

Alguns brinquedos no parque de diversões da Disneylândia, na Califórnia, foram fechados.

Este foi o terceiro forte terremoto no Hemisfério Ocidental nos últimos três meses. Um sismo no Haiti de intensidade semelhante a este na fronteira do México com os Estados Unidos matou cerca de 200 mil pessoas e no Chile, um terremoto com magnitude de 8,8 graus matou cerca de 500 pessoas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.