mais de 700 pessoas morreram e cerca de 2 milhões foram afetadas pelos tremores." / mais de 700 pessoas morreram e cerca de 2 milhões foram afetadas pelos tremores." /

Terremoto de 6,2 graus volta a sacudir o Chile

Um tremor de 6,2 graus na escala Richter abalou neste domingo as regiões central e sul do Chile, atingidas no sábado por um terremoto de 8,8 graus. Segundo o governo, http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/02/28/forte+tremor+deixa+centenas+de+mortos+no+chile+9411897.html target=_topmais de 700 pessoas morreram e cerca de 2 milhões foram afetadas pelos tremores.

iG São Paulo |

    • O tremor foi sentido às 8h28 (na hora local e em Brasília) e abrangeu desde a região de Valparaíso, a 100 quilômetros a noroeste de Santiago, até Concepción, a 500 quilômetros ao sul da capital.

      Reuters

      Moradores tentavam contabilizar prejuízos quando novo tremor atingiu o País

      O Serviço de Geologia dos Estados Unidos informou que o tremor teve magnitude de 6,2 graus na escala Richter, enquanto no Chile o Escritório Nacional de Emergência (Onemi) disse que a intensidade foi de 6 graus na escala internacional de Mercalli, que vai de um a 12, na região de Maule.

      Em Santiago y Rancagua, esta última a 90 quilômetros da capital, a intensidade foi de 4 graus, a mesma que em Concepción, capital da região de Bio Bio. Em Parral, também na região do Maule, foram registrados 5 graus de intensidade.

      Segundo Carmen Fernández, diretora do Onemi, os primeiros relatórios assinalam que se tratou na realidade de três tremores consecutivos. Carmen disse que ainda não se sabe se o tremor causou novos danos, mas que é provável que tenha aumentado a destruição de construções já comprometidas pelo primeiro terremoto.

      Outros locais

      As províncias de Mendoza e Salta, na Argentina, também foram abaladas neste domingo por quatro terremotos de baixa e média intensidades. Até o momento, não há notícias de danos ou vítimas.

      Em Mendoza, a mil quilômetros a oeste de Buenos Aires e na fronteira com o Chile, o primeiro tremor aconteceu às 5h15 (horário de Brasília) e teve 4,9 graus na escala Richter. Duas horas depois houve outro, de 3,3 graus na mesma escala, com epicentro 70 quilômetros a sudoeste da capital.

      Mendoza foi uma das províncias argentinas em que mais se sentiu o terremoto que atingiu o Chile no sábado. Em Salta, o primeiro tremor, registrado às 4h10, teve intensidade de 3,3 graus e epicentro 20 quilômetros a sudoeste da capital.

      No Brasil, apesar de o terremoto que atingiu o Chile no sábado ter sido sentido em São Paulo e no Paraná, ele não oferece risco ao Brasil . A informação foi passada pelo chefe do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília, Jorge Sands.

      Destruição

      AP
      Tremor parte prédio ao meio na ciade de Santiago

      Após o terremoto da madrugada de sábado no Chile, especialistas afirmam que houve 110 réplicas, ou seja, outros tremores, dos quais mais da metade tiveram magnitudes superiores a 5 graus na escala Richter.

      O terremoto de 8,8 graus na escala Richter aconteceu às 3h26 (horário local e mesmo horário de Brasília) do sábado e teve seu epicentro a 35km de profundidade, na região de Bio Bio, a cerca de 320km ao sul de Santiago.

      Na capital chilena, o tremor arrancou varandas de edifícios, derrubou pontes, deixou fábricas em chamas e moradores desabrigados e sem eletricidade e sistema telefônico. Os carros viraram como se fossem de brinquedo. Além disso, pelo menos três hospitais desabaram.

      Moradores das zonas atingidas descreveram o tremor como "interminável". Em Santiago, relatos dão conta de que os prédios tremeram entre 10 e 30 segundos. "Eu vi os carros caindo e não sabia o que fazer. Estava sozinho aqui", disse Mario Riveros, segurança de uma fábrica em Santiago, parado junto a uma ponte que desabou. "Me deu vontade de chorar", acrescentou.

      De acordo com o governo chileno, cerca de dois milhões de pessoas foram afetadas pelo tremor, que já é considerado o maior dos últimos 50 anos. Segundo a Embaixada Brasileira no Chile, não há informações sobre brasileiros mortos ou feridos no terremoto.

      *Com informações da EFE


      *Com informações das agências BBC, Reuters e AP

      Leia também:

      Leia mais sobre terremoto

      Leia tudo sobre: terremototerremoto no chile

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG