Terremoto de 6,2 graus deixa dezenas de mortos no Paquistão

(atualiza com dados sobre vítimas e ajuda enviada a região do terremoto). Islamabad, 29 out (EFE).- Dezenas de pessoas morreram em um terremoto de 6,2 graus na escala aberta de Richter registrado na madrugada de hoje (local) na província sudoeste paquistanesa de Baluchistão, perto da fronteira afegã, segundo fontes oficiais.

EFE |

"Há cerca de 50 mortos e umas 200 ou 300 casas destruídas, mas esses números provavelmente vão aumentar", disse à agência Efe o presidente da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres, o general Farouk Ahmad Khan, que acrescentou que à tarde (local) será possível conhecer a dimensão da tragédia.

As emissoras locais "Dawn" e "Geo TV" elevaram para cerca de 100 o número de mortos no terremoto, que foi registrado a 70 quilômetros de Quetta, a capital de Baluchistão, em áreas montanhosas próximas à fronteira com o Afeganistão.

Os distritos mais castigados são os de Loralai, Chaman, Pishin, Kuchlak, Quetta e especialmente Ziarat, onde fontes oficiais confirmaram à agência estatal "APP" a morte de 25 pessoas, nas localidades de Kach, Warchun e Kawas.

O Exército enviou de Quetta a estas duas últimas localidades dois helicópteros com equipamentos médicos para participar dos trabalhos de resgate, informou seu serviço de imprensa em comunicado.

"Já há unidades militares e equipamentos médicos na região, e estamos enviando mais por estrada. Além disso, vamos instalar um hospital militar e entregamos às autoridades de Quetta milhares de abrigos", acrescentou à Efe o presidente da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres.

O primeiro-ministro de Baluchistão, Aslam Khan Raisani, declarou estado de emergência nos hospitais da região e ordenou a mobilização de todos os recursos disponíveis para ajudar os desabrigados, segundo a "APP".

O terremoto aconteceu na madrugada desta terça-feira (local), cerca de 70 quilômetros ao norte de Quetta, capital do Baluchistão.

O tremor foi regostrado a cerca de 10 quilômetros de profundidade, às 4h09 locais (19h09 de terça-feira em Brasília), assinalou o Instituto Geológico dos EUA.

O epicentro foi localizado 453 quilômetros ao sudoeste de Cabul.

O tremor foi seguido de várias replicas que causaram pânico e medo entre a população local.

"Houve dois tremores, o segundo foi mais sério e fez com que as pessoas deixassem correndo suas casas", disse Amjad Hussain, um morador de Quetta, citado pela "Geo TV".

O presidente paquistanês, Asif Alí Zardari, e o primeiro-ministro, Yousef Raza Guilani (que está na Turquia), emitiram comunicados para manifestar seu pesar pelo ocorrido e ordenar uma pronta ajuda aos afetados pelo terremoto. EFE igb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG