Terremoto de 6,1 graus fere 230 pessoas na China

Ao menos 230 pessoas ficaram feridas, quatro elas com gravidade, depois que um terremoto sacudiu, na sexta-feira, a província chinesa de Sichuan, segundo informações do jornal oficial chinês China Daily.

BBC Brasil |

O epicentro do tremor, de 6,1 graus na escala Hichter, foi localizado entre os condados de Pingwu e Beichuan. Não há relatos de mortos.

No dia 12 de maio, a mesma província foi fortemente abalada por um terremoto de 8 graus que deixou 70 mil mortos.

Segundo o China Daily, em Pingwu, 130 mil pessoas foram afetadas, 540 casas foram completamente destruídas e outras 2.450 danificadas.

Zhao Guangmin, professor de uma escola primária em Pingwu, contou ao jornal ter visto tijolos desabando de vários prédios. Ele disse que desde o terremoto de maio vários temores secundários continuam ocorrendo.

"Nós estamos acostumados à rotina de tremores secundários", disse ele ao China Daily. "Um dia sem tremores é um dia anormal".

Sismologistas do governo disseram ao jornal chinês que a ocorrência de tremores secundários após um forte tremor, como o do mês de maio, pode se prolongar durante anos.

"Um grande terremoto pode liberar a maioria, mas não toda a energia do subsolo. Portanto, novos tremores podem continuar ocorrendo por um longo tempo", disse Chen Xuezhong, pesquisador do Instituto de Geofísica do Departamento Estatal de Sismologia.

    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG