Terremoto de 4,7 graus atinge Haiti e cria pânico

Porto Príncipe, 23 fev (EFE).- Um terremoto de 4,7 graus atingiui hoje uma área próxima a Porto Príncipe, sem que se tenha registrado danos, mas sim cenas de pânico entre a população que já sofre com os efeitos do grande terremoto de 12 de janeiro.

EFE |

Segundo informou o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS) em seu site, o terremoto foi registrado à 1h26 local (3h26 de Brasília) e teve seu epicentro a 35 quilômetros ao sudoeste da capital haitiana.

O tremor foi seguido, dez minutos depois, por outra réplica cuja intensidade não foi especificada.

Em vários bairros da capital, os habitantes acordaram assustados e gritando.

Em Peguyville, setor da periferia leste de Porto Príncipe, o morador Carius explicou à Agência Efe que as pessoas acordaram desesperadas e saíram correndo de suas casas. "Fiquei acordado até alta madrugada", disse.

Ele acrescentou que esses tremores assustam ainda mais seu filho de oito anos, que desde o terremoto de 12 de janeiro já não consegue mais dormir em lugares fechados, só em abertos.

Ontem foram registrados outros dois tremores, com epicentro nas proximidades da capital haitiana, o que causou pânico entre a população.

Cerca de 130 réplicas foram registradas no país desde o terremoto de janeiro passado, que deixou 217 mil mortos e incalculáveis danos materiais.

O escritório de Minas e Energia local prevê que as réplicas continuem durante todo o ano e, por isso, pediu à população a abandonar as construções que apresentem fendas.

O Governo informou ontem que três estações sísmicas foram estabelecidas no país para registrar os tremores de terra que se manifestam depois do terremoto.

Os aparelhos foram posicionados em Juvenat (periferia sul da capital), em Leogane (oeste), epicentro do terremoto de 12 de janeiro, e em Jacmel (sudeste), que foi também seriamente afetado, afirmou o ministro do Meio Ambiente do Haiti, Jean Marie Claude Germain.

Segundo o ministro, as estações, que foram estabelecidas com a cooperação do Canadá, têm capacidade de registrar tremores de magnitude de 0 a 4 graus na escala Richter. EFE gp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG