Terremoto atinge costa leste dos EUA

Partes do Pentágono, Casa Branca e Capitólio são esvaziadas por tremor de 5,8, também sentido em Nova York e Carolina do Norte

iG São Paulo |

Um terremoto de 5,8 graus na escala Ritcher atingiu nesta terça-feira o Estado da Virgínia, nos EUA, e foi sentido com força em Washington (D.C.) e tão longe quanto o Estado da Geórgia, no sul, a cidade de Nova York e Martha's Vineyard, em Massachusetts, onde o presidente dos EUA, Barack Obama, está em férias desde a semana passada.

Por enquanto, não há informações de vítimas, e houve apenas pequenos danos em prédios. Em Washington, os mais atingidos foram a catedral e a embaixada do Equador. O abalo sísmico, que também foi sentido em Toronto, Canadá, teve profundidade de quase 6 km e epicentro a 64 km a noroeste de Richmond, capital da Virgínia. As informações iniciais eram de que o terremoto teve magnitude de 5,9 graus e teria ocorrido a 800 metros de profundidade.

"É um dos maiores que já tivemos", disse a sismóloga do Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) à rede de TV CNN. Segundo o USGS, o terremoto desta terça-feira é o mais intenso registrado desde 1897 na área.

Dois reatores nucleares na Estação Elétrica de North Anna foram desligados automaticamente pelos sistemas de segurança no momento do tremor, disse Roger Hannah, um porta-voz da Comissão Nuclear Regulatória dos EUA. Segundo Hannah, a agência não tem conhecimento de danos nas instalações nucleares no sudeste.

Segundo o jornal The New York Times, o tremor foi sentido por cerca de 30 segundos em Washington. Partes do Pentágono, Casa Branca e Capitólio foram esvaziadas. No Pentágono, localizado no norte da Virgínia, as pessoas correram pelos corredores de prédio enquanto se ouviam gritos de "Saiam! Saiam!"

As ruas da capital ficaram lotadas de moradores que deixaram os prédios como medida de segurança. O Serviço de Parques dos EUA esvaziou e fechou todos os monumentos e memoriais do National Mall. No Aeroporto Nacional de Reagan, nos arredores de Washington, partes do teto caíram durante alguns segundos do tremor. As autoridades anunciaram que era um terremoto, e os voos foram suspensos. Além disso, um terminal foi esvaziado enquanto bombeiros inspecionavam o local por um um provável vazamento de gás.

Obama e muitos dos líderes do país estavam fora de Washington por causa das férias de agosto quando o terremoto ocorreu às 13h51 locais (14h51 em Brasília). Os abalos foram sentidos no campo de golfe de Martha's Vineyard quando Obama acabava de começar uma rodada. Além de Washington, o tremor atingiu toda a costa leste, em locais como a Colina Chapel e Carolina do Norte.

Vídeo mostra prédio danificado em Tysons Corner, região metropolitana de Washington:

Em Nova York, milhares deixaram suas casas no bairro do Palácio da Justiça, ao sul de Manhattan. Não havia sinal de pânico. A cidade usou os procedimentos de segurança adotados após os ataques terroristas do 11 de Setembro de 2001 .

Nos aeroportos internacionais John F. Kennedy e Newark-Liberty, as torres de controle foram esvaziadas e os voos suspensos temporariamente, disseram a Autoridade Portuária de Nova York e New Jersey. Depois de inspeções para ver a condição das torres e pistas, os serviços foram retomados.

Em Connecticut, um jogo foi paralisado no New Haven Open depois que o tremor foi sentido no estádio, no campus de Yale. O local foi esvaziado durante o terceiro set do jogo entre Jelena Jankovic, da Sérvia, e Elena Vesnina, da Rússia.

Terremotos atingem a costa leste, mas normalmente têm menor intensidade. A região também é menos preparada para tremores do que a Califórnia e o Alasca. O tremor da Virgínia ocorreu um dia depois de um terremoto em Colorado ter feito produtos caírem das prateleiras de mercados e causado pequenos danos em casas no sul do Estado e no norte do Novo México. Não houve relatos de feridos enquanto a região continuou sendo atingida por abalos secundários nesta terça-feira.

Veja local onde ocorreu o terremoto:

You need to upgrade your Flash Player

*Com AP, New York Times, Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: terremotoeuawashingtonnova york

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG