Terremoto abala prédios e assusta moradores nas Ilhas Cayman

Por Alan Markoff e Shurna Robbins GEORGE TOWN, Ilhas Cayman (Reuters) - Prédios e casas balançaram nas Ilhas Cayman nesta terça-feira, quando um terremoto de magnitude 5,8 atingiu o centro financeiro do Caribe, mas não havia informações sobre feridos nem sobre danos.

Reuters |

Tremores de pequena intensidade são comuns na região, mas os moradores das Ilhas Cayman estavam atentos por causa do terremoto de magnitude 7 que devastou boa parte da capital do Haiti, Porto Príncipe, há uma semana.

"O prédio inteiro balançou", disse Junior Elliot, de 30 anos, que entregava garrafas de água num prédio comercial de quatro andares perto do porto de George Town.

"Todo mundo correu, tentando sair. Eles não podiam usar os elevadores, então foram pelas escadas", acrescentou.

O terremoto ocorreu 50 quilômetros a sudeste da ilha Grand Cayman às 9h23 (horário local), disse o meteorologista chefe das Ilhas Cayman, John Tibbetts.

"Não ouvi notícias de nenhum dano em Grand Cayman. Não houve ligações ao 911 ou ao Gerenciamento de Riscos. Parece que foi apenas um abalo para nós", afirmou.

Algumas linhas telefônicas pararam de funcionar, mas o tremor não causou maior transtorno, afirmaram moradores.

De acordo com as normas de engenharia, as estruturas das residências e do comércio precisam ser construídas para resistirem a furacões e terremotos. A Grand Cayman fica bem ao norte de uma falha bastante ativa chamada Zona de Fratura Oriente, que praticamente acompanha a margem norte da parte mais profunda do Mar do Caribe.

Em 14 de dezembro de 2004, Grand Cayman foi atingida por um terremoto de 6.8 de magnitude, apenas três meses depois de ter sido devastada pelo furacão Ivan. Mas o terremoto causou apenas danos menores a fundações de algumas casas e a piscinas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG