Moscou, 14 jul (EFE).- Os seis participantes da simulação de um voo a Marte saíram hoje do módulo científico no qual permaneceram isolados do mundo por 105 dias.

Às 14h de Moscou (7h de Brasília), os organizadores do experimento, do Instituto de Problemas Biomédicos (IPBM) da Academia de Ciências da Rússia, abriram a comporta. As informações são da agência "Interfax".

O cosmonauta russo Serguei Riazanski, de 34 anos, foi o comandante da operação. Pouco depois de sair do módulo, ele disse estar "perfeitamente bem". Outros três russos, um francês e um alemão completaram a tripulação.

Após um breve contato com a imprensa, a tripulação se submeteu a um exame médico. Todos devem voltar para casa ainda hoje, mas deverão comparecer ao IPBM a cada dois dias para acompanhamento.

Iniciado em 31 de março, a experiência foi dividida em três partes: voo da nave pela órbita terrestre, trajeto a Marte e a estadia do aparelho na órbita marciana.

O objetivo da simulação era testar a compatibilidade psicológica e a tolerância dos integrantes da tripulação, permitindo aos cientistas estudar diariamente os efeitos do isolamento de longa duração.

Esta foi a ante-sala do projeto chamado "Marte-500", que simulará um voo ao Planeta Vermelho com outra tripulação e de início previsto para o final deste ano ou início de 2010.

Os futuros seis voluntários permanecerão no simulador por 520 dias - o tempo da viagem de ida e volta a Marte - e uma estadia simulada de 30 dias na superfície marciana. EFE.

egw/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.