Termina 2º sequestro marítimo mais longo da história

Nairóbi, 3 ago (EFE).- Um rebocador da Malásia, o TB Masindra, foi liberado no domingo por piratas somalis depois de mais de sete meses retido, no segundo sequestro marítimo mais longo da história, informou hoje a ONG Ecoterra.

EFE |

O navio, com 11 tripulantes a bordo de origem indonésia, foi liberado após o pagamento de um resgate cuja quantia não foi revelada, acrescentou a organização, através de um comunicado.

"Todos os tripulantes se encontram em bom estado de saúde", afirma a Ecoterra.

O "TB Masindra" foi sequestrado em 16 de dezembro de 2008 enquanto navegava para a Malásia a partir de Mukalla, no Iêmen, zona na qual operava com um contrato do gigante petroleiro francês Total.

Segundo o comunicado, tanto a Malásia quanto a Indonésia se eximiram no sequestro, abandono que deixou a situação nas mãos da companhia proprietária da embarcação, a Masindra Shipping, de origem malaia.

Esta circunstância "provocou a demora de sua liberação e expôs os tripulantes a situações extremas, entre elas técnicas, como a falha de um motor na primeira noite do sequestro", indica o texto.

Neste momento, o navio se dirige ao porto mais próximo para consertar as avarias e poder iniciar o caminho outra vez à Malásia.

Com três meses a mais de cativeiro que a embarcação malaia, o sequestro de um rebocador nigeriano que foi liberado em junho é o mais longo da história de ataques em alto-mar.

O ano de 2008 foi especialmente marcado pelos ataques de piratas somalis, que conseguiram sequestrar mais de 130 navios, 200% a mais que no ano anterior, segundo o Escritório Marítimo Internacional.

EFE pa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG