Terceiro estudante morre por ataque a colégio de Ohio, EUA

Demetrius Hewlin morreu horas depois de Russell King Jr. ter sido declarado com morte cerebral

iG São Paulo |

Um terceiro estudante morreu como resultado de um ataque em uma escola dos Estados Unidos na segunda-feira. Demetrius Hewlin morreu horas depois de Russell King Jr, 17, ter sido declarado com morte cerebral . Daniel Parmertor, 16, morreu na segunda-feira, logo após o ataque contra o Colégio Chardon High School às 7h30 locais (9h30 em Brasília), em Ohio. Os três fazem parte de um grupo de cinco alunos atingidos por tiros disparados por um adolescente.

Leia também: Atirador abre fogo em escola de Ohio, nos EUA

AP
Pai abraça estudante após ataque em escola de Chardon, em Ohio (27/02)

A família de Hewlin o descreveu como "um jovem feliz que amava a vida, sua família e seus amigos". "Sentiremos muita falta dele, mas estamos orgulhosos de que ele será capaz de ajudar outros por meio da doação de órgãos", disse a família em uma nota.

Os dois outros feridos continuam no hospital, um deles em situação séria e outro instável. Na noite desta terça-feira será realizada uma vigília, e as escolas da cidade de 5,1 mil habitantes ficarão fechadas até sexta-feira.

Segundo a polícia, os tiros foram disparados pelo adolescente T.J. Lane, que atirou na lanchonete da escola. Autoridades do FBI que investigam o caso não informaram qual teria sido o motivo do ataque e disseram que "ainda têm muito lição de casa para fazer".

Um funcionário da secretaria de Educação disse que Lane não era estudante da escola, contrariando uma informação divulgada anteriormente.

O suspeito frequentava a Lake Academy, uma instituição que costuma receber estudantes que tiveram problemas acadêmicos ou comportamentais em outros colégios. O FBI disse que Lane foi detido a cerca de um quilômetro de Chardon e ainda não foi formalmente acusado. Alguns estudantes disseram que Lane sofria bullying, enquanto outros discordaram dessa afirmação.

Os tiros foram disparados logo depois do inícios das aulas na escola que tem 1,1 mil alunos. Por causa do barulho, estudantes gritaram e correram em pânico nos corredores.

Heather Ziska, 17, disse que estava na lanchonete quando ela e outros estudantes ouviram disparos no corredor. Segundo Heather, ela e vários outros imediatamente correram para fora do local, enquanto amigos buscaram abrigo em uma instituição vizinha e outros se trancaram na sala dos professores.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: ataque em escolaeuaohioatirador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG