Estrangeiros estão entre mortos do incidente em siderúrgica, que, segundo a agência estatal, foi causada por restos de munição

Uma explosão em uma siderúrgica na província de Yazd, no Irã, deixou sete mortos, incluindo estrangeiros, informou nesta segunda-feira a agência estatal de notícias iraniana, Irna.

Leia também:
- Explosão atinge base militar do Irã
- União Europeia anuncia novas sanções contra o Irã
- EUA anunciam novas sanções contra setor de energia do Irã

A explosão ocorrida no domingo foi causada, segundo a agência, por restos de munição. De acordo com a Irna, sete funcionários da fábrica privada foram mortos e outros 12 ficaram feridos. Não ficou claro, no entanto, quantos estrangeiros estavam entre os mortos nem a nacionalidade deles.

O governador da região de Yazd Azizollah Seyfi não deu detalhes da causa da explosão, porém prometeu que uma investigação já estava em curso.

Ali Akbar Oliaw, um membro local do Parlamento, disse que a explosão foi causada por restos de munição que chegaram à fábrica junto a um lote de sucata. "Entre a sucata estava munição que não tinha funcionado e isso causou a explosão", disse Oliaw, segundo a Irna.

Explosões em instalações industriais iranianas são muitas vezes atribuídas a equipamentos antigos, falta de manutenção e tecnologia inadequada.

Algumas autoridades culpam as sanções econômicas impostas pelos EUA e outros países ocidentais contra o Irã pelos problemas com a manutenção dessas instalações. As sanções econômicas decorrem do controverso programa nuclear do Irã.

A tensão esquentou quando a Agência Internacional de Energia atômica (AIEA) divulgou um relatório afirmando que o país persa trabalha para ter armas nucleares , o que Teerã nega.

Ocorreram diversas explosões inexplicadas no Irã nos últimos meses em fábricas e instalações militares, aumentando os rumores do envolvimento estrangeiro em um plano para interromper o programa nuclear do país.

Uma explosão deixou 17 mortos em novembro em uma base militar perto de Teerã que pertencia à Guarda Revolucionária. Israel depois disse que o incidente poderia ter diminuído o ritmo das atividades nucleares do país. Depois, em 28 de novembro, outra explosão foi registrada em uma fábrica na província de Isfahan. As causas desses incidentes permanecem um mistério.

Com AP e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.