Terapia hormonal para menopausa dobra risco de câncer de mama

As mulheres que já entraram na menopausa e seguem uma terapia hormonal que combina estrogênio e progesterona durante pelo menos cinco anos vêem se multiplicar por dois o risco de sofrer câncer de mama, de acordo com um estudo divulgado nesta quarta-feira.

AFP |

Um ano depois do final desse tipo de tratamento, o risco de desenvolver um câncer de mama cai para 28%, revela o estudo.

"Isso é uma prova muito sólida de que o estrogênio combinado com a progesterona provoca o câncer de mama", afirmou a doutora e professora de Medicina da Universidade de Stanford (Califórnia, oeste) Marcia Stefanick, co-autora desse estudo publicado no "New England Journal of Medicina" (NEJM), datado de 5 de fevereiro.

"Prescrevem-se hormônios para mulheres com menopausa e, cinco anos depois, seu risco de sofrer câncer é, sem dúvida alguma, elevado. Depois, quando param o tratamento hormonal, o risco volta a ser normal", acrescentou.

"Esses dados estabelecem, de maneira suficientemente convincente, a relação de causa e efeito", entre a terapia e a patologia, completou a doutora Marcia, ressaltando que esses dados não se aplicam às mulheres que tomam apenas estrogênio.

O primeiro teste clínico foi realizado pelo Instituto Nacional de Saúde (NIH) e foi paralisado em 2002, três anos antes do previsto, quando o claro aumento do risco de câncer de mama ficou estabelecido.

js/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG