Operadora de usina nuclear Tepco desculpou-se por "preocupação e ansiedade" causadas por acidente ocorrido há um ano

A Tokyo Electric Power (Tepco), operadora da usina nuclear de Daiichi, pediu neste domingo (11) "profundas desculpas" aos moradores de Fukushima e a toda a sociedade "pela preocupação e ansiedade" provocadas com o acidente nuclear desencadeado pelo tsunami de há um ano. 

Em comunicado por causa do aniversário, o presidente da Tepco, Toshio Nishizawa, se comprometeu a manter os esforços para garantir condições estáveis na central e a trabalhar "para o desmantelamento a médio e longo prazo dos reatores".

Tragédia completa 1 ano: Minuto de silêncio lembra desastres de 11 de março no Japão

Além disso, "todas as companhias do grupo Tepco intensificarão seus esforços para atender os afetados atualmente e fazer chegar até eles de maneira ágil as compensações devidas", assegurou.

São fatores complicados o processo para solicitar as indenizações e a falta de flexibilidade da companhia na hora de avaliar os pagamentos, em muitos casos adiados porque a radiação impede a ida até as áreas afetadas para calcular o valor dos bens perdidos.

Leia também:
- Veja o Japão antes e depois da reconstrução
- Reveja imagens marcantes da tragédia na TV iG

"Dedicaremos toda nossa força e todos nossos recursos para superar os vários desafios que ainda temos pela frente, lembrando sempre que à margem da tarefa que enfrentamos, a segurança deve ser nossa prioridade", disse Nishizawa.

Veja imagens das homenagens no Japão e no mundo:

O tsunami que seguiu ao tremor provocou ondas de até 15 metros que se abateram com força na unidade e paralisaram seu sistema de refrigeração, o que desencadeou o pior acidente nuclear desde o de Chernobyl.

Por causa do aniversário do acidente foram convocadas para este domingo várias manifestações antinucleares em diferentes cidades do país, incluindo Tóquio, onde uma grande marcha percorreu o centro da cidade para pedir o "blecaute" definitivo das usinas atômicas do país.

*com EFE e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.