Tendência a aprovar nova Carta Magna segue em alta no Equador

Quito, 7 set (EFE).- A tendência a votar pelo sim no referendo de 28 de setembro sobre o projeto de Carta Magna se mantém em alta, a ponto de o Executivo equatoriano prever uma surra na oposição nas urnas.

EFE |

As enquetes dão mais de 50% ao "sim", tendência que reflete uma alta nas últimas semanas.

O diretor da firma pesquisadora SP Pesquisas e Estudos, Santiago Pérez, disse hoje na televisão local "Teleamazonas", que em uma enquete neste fim de semana, feita junto a 4.610 pessoas, o "sim" alcançou o apoio de 57%, enquanto o "não" obteve 23%.

Segundo a pesquisa, os votos nulos chegam a 9% e os brancos a 11%.

Apesar dos números, Pérez assinalou que ainda não há uma tendência marcada pelo "sim" ou pelo "não", pois 35% dos consultados ainda não definiram seu voto.

"No entanto, o que podemos também afirmar é que nas últimas quatro semanas, a opção pelo 'sim' cresceu de uma maneira grande", disse Pérez.

Na penúltima enquete da SP, de 30 de agosto, 56% apoiaram o "sim", 23% se pronunciaram a favor do "não", "9%" disseram que votariam "nulo" e outros 12% optariam por deixar a cédula em "branco".

Ontem, o presidente do Equador, Rafael Correa, assegurou que "as coisas vão extraordinariamente bem" para o "sim" no referendo convocado para o próximo dia 28 de setembro.

Em seu relatório semanal de trabalhos, Correa assinalou que "quanto mais mentem, mais se afundam", em referência a uma série de "enganos" que, a seu critério, a oposição tenta fazer a população acreditar sobre o texto constitucional. EFE sm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG