Temporada de furacões de 2008 foi a pior em 64 anos

A temporada de furacões de 2008 - que termina oficialmente no próximo domingo - foi considerada a pior desde que estes fenômenos começaram a ser registrados, 64 anos atrás, informou nesta quarta-feira o Centro Nacional de Furacões americano (CNH) em um balanço sobre a estação.

AFP |

Pela primeira vez, seis ciclones tropicais - Dolly, Edward, Fay, Gustav, Hanna e Ike - penetraram em território americano de forma consecutiva, e três furacões maiores - Gustav, Ike e Paloma - atingiram Cuba, segundo o CNH, com sede em Miami.

Também é a primeira vez que a temporada no Atlântico norte registra furacões maiores (de categoria 3 ou mais na escala Saffir-Simpson, cujo máximo é 5) em cinco meses seguidos, acrescentou a organização.

O furacão Berta, em julho, o Gustav, em agosto, o Ike, em setembro, o Omar, em outubro, e o Paloma, em novembro, foram todos classificados como furacões maiores.

Ao todo, 16 tempestades tropicais se formaram ao longo da temporada de furacões, que vai de 1º de junho a 30 de novembro no Atlântico norte.

Das 16 tempestades, oito se transformaram em furacões - cinco deles, de grande intensidade (categoria 3 ou mais).

A média para uma temporada costuma girar entre 11 tempestades e seis furacões (sendo três maiores), o que explica o assombro dos meteorologistas do CNH com a temporada atual.

"A temporada de furacões deste ano (...) é a décima estação dos últimos 14 anos a produzir uma atividade acima do normal", informou Gerry Bell, meteorologista da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês).

jco/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG