Tempo ruim atrasa extração do combustível do Costa Concordia

Início da retirada de 2.300 toneladas de combustível estava prevista para este sábado

EFE |

As tarefas de extração do combustível do navio Costa Concordia, naufragado no litoral da ilha italiana de Giglio em 13 de janeiro, sofreram neste sábado um novo atraso por causa das más condições meteorológicas, informou a imprensa italiana.

A expectativa era que a companhia holandesa Smit Salvage começaria neste sábado a extrair as 2.300 toneladas de combustível que permanecem no navio, mas os trabalhos foram em seguida adiados para o domingo. Entretanto, será difícil cumprir a nova data, pois as tarefas prévias à extração, como a perfuração dos tanques, também foram suspensas devido ao mar agitado.

Nos últimos dias, os técnicos da companhia holandesa perfuraram quatro dos seis tanques nos quais está armazenado o combustível. Agora eles devem perfurar os dois restantes para começar a tarefa de extração, que consiste em aquecer os tanques para liquidificar o combustível, que depois será transportado a cisternas externas. Enquanto isso, é feito o trabalho de bombear a água do mar aos tanques que estão ficando vazios para evitar que o navio possa se desequilibrar.

A extração do combustível deve durar cerca de 30 dias, segundo a Defesa Civil italiana. O naufrágio do cruzeiro Costa Concordia no litoral da ilha de Giglio causou 16 mortos e 22 desaparecidos. As equipes de resgate continuam trabalhando.

    Leia tudo sobre: costa concordianaufrágioitalianavio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG