Tempestades e tornados matam dezenas no sul dos EUA

Estado do Alabama é o mais afetado e tem 194 das 280 vítimas fatais registradas até agora

iG São Paulo |

Fortes tempestades e tornados deixaram pelo menos 280 mortos na região sul dos Estados Unidos, informaram autoridades do país nesta quinta-feira. O mau tempo, que começou no início da semana e se intensificou na quarta-feira, deixou 194 mortos apenas no Estado do Alabama.

Desde o início da semana, houve registro de mortes em outros Estados como Mississippi, Arkansas, Louisiana, Geórgia e Tennessee.

Na quarta-feira, o presidente Barack Obama aprovou uma ajuda emergencial para o Alabama, incluindo assistência para buscas e resgate. "Embora possamos não saber a extensão dos danos por vários dias, vamos continuar a monitorar estas tempestades graves em todo o país e a ficar prontos para continuar a ajudar a população do Alabama e todos os cidadãos afetados por essas tempestades", afirmou o líder,  em comunicado divulgado.

Mais tarde, Obama disse que a situação na região afetada por uma série de tempestades e tornados no sul e leste do país é “desoladora” e que os estragos são “nada menos que catastróficos”, enquanto se prepara para viajar ao Alabama na sexta-feira para visitar a área devastada e encontrar famílias prejudicadas pelos tornados e tempestades. O presidente americano não quer repetir o erro de seu antecessor, George W. Bush, cuja ausência nas áreas atingidas pelo Katrina em 2005 contribuiu para a queda de sua popularidade.

Os governadores do Alabama, do Arkansas e do Tennessee declararam estado de emergência.

No Alabama, a cidade mais afetada pelas tempestades foi Tuscaloosa, onde foram registradas 16 mortes. O mau tempo também deixou cem feridos no município, que tem cerca de 83 mil habitantes. "A cidade sofreu danos extensos de um tornado que deixou um rastro de destruição profundo no coração", disse o prefeito, Walter Maddox, em comunicado.

Os moradores de Tuscaloosa ficaram assustados com a força da tempestade. "Estava com minha mulher assistindo o jornal quando um enorme tornado 'caiu' sobre nós", contou o morador Will Nevin. "Fomos correndo para o banheiro. As luzes piscavam e tudo tremia."

Segundo afirmou um porta-voz da companhia energética do Alabama ao jornal The New York Times, as tempestades que já vinham atingindo a cidade havia vários dias tornaram os danos provocados pelo tornado ainda piores. Segundo ele, cerca de 335 mil residências ficaram sem energia na região, e o número total de cortes de luz pode se igualar aos provocados pelos furacões Ivan ou Katrina.

Calcula-se que 1 milhão de pessoas estejam sem energia no Estado, e o governador, Robert Bentley, diz que o número total de mortos deve aumentar à medida que as equipes de resgate avancem sobre as áreas atingidas.

A Guarda Nacional foi enviada ao Alabama para ajudar nos esforços de resgate, que contam com a participação de equipes de emergência e 2 mil soldados. Além de avaliar a extensão dos estragos, Obama deverá agradecer às equipes de socorro e prestar solidariedade às famílias das vítimas.

Nos outros Estados, a destruição também é grande. No Arkansas, tornados e enchentes provocaram a queda de árvores e cortes de energia. Casas foram destruída e muitas regiões estão alagadas. No Missouri, centenas de moradores tiveram de deixar suas casas após o rompimento de diques do Rio Black, próximo à localizada de Poplar Bluff.

Segundo o serviço nacional de meteorologia dos Estados Unidos, mais de 300 tornados atingiram as regiões sul e leste do país desde a sexta-feira passada. Só na quarta-feira foram 150 tornados e tempestades, em uma temporada que já é considerada a mais mortal em décadas nos Estados Unidos.
As previsões meteorológicas indicam ameaça de novas tempestades no leste do país. “Esperamos uma erupção da atividade de tornados e tempestades", disse Mike Mach, meteorologista do serviço nacional.

O sul dos Estados Unidos vem sofrendo com as tempestades desde o início do mês. Há duas semanas, 47 pessoas já haviam morrido após a passagem de tempestades pelos Estados de Oklahoma e Carolina do Norte.

null

Com AFP, AP e BBC

    Leia tudo sobre: euatempestadetornadoalabamadesastre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG