Tempestade tropical Gustav avança com força para Jamaica

A tempestade tropical Gustav avançava fortalecida, nesta quinta-feira, para a Jamaica, após deixar mais de 59 mortos no Haiti e na República Dominicana, enquanto as autoridades instalam abrigos de emergência e pedem aos moradores do litoral para que se dirijam para o interior do território.

AFP |

"Gustav pode se transformar em furacão antes de chegar à Jamaica", informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês), em uma nota, depois que o governo jamaicano divulgou um alerta de furacão.

As previsões mais recentes anunciam que Gustav deve seguir pelo sul da Jamaica como tempestade tropical e alcançar a ilha Grande Cayman como furacão ainda esta semana, antes de passar pela península mexicana de Yucatán e a ponta oeste de Cuba.

"Com essa direção, o centro de Gustav passará sobre a Jamaica, ou muito perto durante a tarde, ou esta noite (...), e sobre as Ilhas Cayman na noite de sexta-feira", advertiu o NHC.

As chuvas de Gustav podem deixar uma precipitação de até 300mm na Jamaica, superando os 635mm em alguns setores. "Essas precipitações podem gerar inundações repentinas e deslizamentos que ponham a vida humana em risco", alertou o NHC.

Além de emitir advertências para os habitantes das zonas inundáveis, as autoridades da Jamaica suspenderam o serviço de transporte coletivo prévio à chegada da tempestade. Os motoristas deixavam as estradas, e as lojas fechavam suas portas, além de reforçar as fachadas.

Cuba também se mantém em alerta. Apesar de ter diminuído o perigo com a passagem do Gustav pelo leste cubano, a ameaça continua no oeste. A Defesa Civil da ilha mantém seus planos preventivos, e mais de 60.000 pessoas permanecem evacuadas nas províncias do leste.

A direção de Segurança Civil do Haiti divulgou um novo balanço, de 14 para 51 mortos, além de sete desaparecidos, após a passagem de Gustav por seu território na terça-feira.

O sudeste do país é o departamento mais afetado, declarou a Segurança Civil, acrescentando que Gustav destruiu várias casas, bloqueou estradas, afundou pontes e inundou povoados. A maioria das vítimas morreu no desabamento de suas casas, ou pela queda de árvores.

O governo dominicano determinou novas evacuações em setores da capital afetados pelo aumento no volume dos rios, após as chuvas provocadas por Gustav, que deixou oito mortos. Até o momento, há 6.015 pessoas deslocadas, 1.203 casas afetadas por inundações, danos em infra-estrutura viária e várias localidades incomunicáveis.

Ao mesmo tempo, o estado americano de Louisiana (sul) também estava se protegendo, em meio aos alertas sobre o risco de que a costa do Golfo possa ser alcançada no início da próxima semana por Gustav, a pior tempestade desde que o furacão Katrina arrasou a região, há três anos.

Ontem, o governador de Louisiana, Bobby Jindal, declarou estado de emergência e anunciou planos para começar a evacuar as áreas costeiras mais expostas à tempestade.

O Departamento de Segurança Interior dos Estados Unidos também pediu aos moradores da costa do Golfo que se preparem para a tempestade, no momento em que o NHC anunciava uma nova tormenta, Hanna, que já está nascendo no Atlântico, a oitava da temporada.

rpl/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG