Dolly chega a Iucatã e Cristóbal se afasta da costa americana - Mundo - iG" /

Tempestade Dolly chega a Iucatã e Cristóbal se afasta da costa americana

Miami, 21 jul (EFE).- A tempestade tropical Dolly chegou hoje ao nordeste da península de Iucatã e pode se transformar em ciclone nas águas do Golfo do México, enquanto Cristóbal se afasta do litoral da Carolina do Norte.

EFE |

"Dolly" apresenta ventos máximos sustentados de 85 quilômetros por hora e "se espera que ganhe força quando seu olho estiver sobre o Golfo do México, por isto poderia se transformar em furacão amanhã", informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) dos Estados Unidos, em seu boletim das 9h (horário de Brasília).

Uma tempestade tropical se transforma em furacão de categoria 1 quando seus ventos máximos sustentados alcançam 119 quilômetros por hora.

Está mantido um aviso de tempestade (passagem da tormenta em 24 horas para a península de Iucatã) desde a fronteira com o Belize até Campeche (México).

Naquele momento, o olho de "Dolly", que se formou ontem, estava perto da latitude 21,6 graus norte e da longitude 88,7 graus oeste, a 105 quilômetros a leste-nordeste de Progreso, no México.

"Dolly" se desloca em direção ao oeste-noroeste a 26 quilômetros por hora e se prevê que "mantenha a trajetória nos próximos dois dias, com diminuição da intensidade amanhã".

Enquanto isto, a tempestade tropical "Cristóbal", que se formou no sábado, continua se afastando do litoral da Carolina do Norte em direção ao nordeste do Atlântico.

O olho de "Cristóbal" está na latitude 36,1 graus norte e longitude 73,9 graus oeste, a 175 quilômetros ao nordeste de Cape Hatteras, na Carolina do Norte.

"Cristóbal" está se dirigindo em direção ao nordeste a 20 quilômetros por hora e espera-se que mantenha seu curso com algum aumento de velocidade nos próximos dois dias.

Seus ventos máximos sustentados alcançam 85 quilômetros por hora e não deve haver mudanças em sua intensidade.

Durante a temporada atlântica de 2008, que começou em primeiro de junho e que termina em 30 de novembro, já se formaram quatro tempestades tropicais, "Arthur", "Bertha" - que se tornou no primeiro ciclone da temporada -, "Cristóbal" e "Dolly".

Os meteorologistas prevêem que a temporada seja um "pouco mais ativa" do que o normal, com a formação de seis a nove furacões e de 12 a 16 tempestades tropicais. EFE emi/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG