MIAMI (Reuters) - A tempetade tropical Paloma formou-se na quinta-feira sobre o Caribe e pode rapidamente virar um furacão a caminho de Cuba, segundo meteorologistas dos Estados Unidos. A 16a tempestade da temporada de 2008 no Atlântico não representa uma ameaça às instalações petrolíferas norte-americanas no golfo do México, mas pode causar mais estragos em Cuba, que sofreu prejuízos superiores a 5 bilhões de dólares devido a dois furacões dois meses atrás.

Este é o último mês de uma temporada que, como já se previa, foi mais agitada do que o habitual.

Às 16h (hora de Brasília), Paloma estava 165 quilômetros a nordeste de Cabo Gracias a Dios, na fronteira entre Nicarágua e Honduras, países onde já provocava chuvas, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA. A tempestade se deslocava para norte a 11 quilômetros por hora, com ventos regulares de até 97 quilômetros por hora.

"Nas áreas mais elevadas de Gracias a Dios, as chuvas começaram e prevemos inundações. Estamos dizendo às pessoas na região para deixar as áreas montanhosas, há muita gente em risco", disse Randolfo Funes, da defesa civil hondurenha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.