Temor de fraude e longas filas marcam véspera de eleição nos EUA

Washington, 3 nov (EFE).- As longas filas nas urnas, um número recorde de eleitores que depositaram seu voto de forma antecipada e o temor de fraude dominam hoje o panorama eleitoral nos Estados Unidos na véspera do pleito presidencial.

EFE |

Segundo dados preliminares, entre 23 e 27 milhões de pessoas votaram de maneira antecipada em 30 estados, uma medida que permitirá atenuar as longas filas formadas em todo o país.

Só na Flórida, um dos estados-chave nesta disputa, calcula-se que mais de quatro milhões de votos foram emitidos pessoalmente ou por correio de forma antecipada.

Em alguns lugares, a participação nos centros de votação foi tal que as autoridades informaram sobre esperas de até seis horas como ocorreu, por exemplo, em Columbus, no estado de Ohio, e em alguns recintos no condado de Miami-Dade, na Flórida.

Dos seis milhões de eleitores que já depositaram sua cédula e dos que se conhece sua filiação, 57,8 dos votos foram para democratas e 42,2%, para republicanos.

Embora as autoridades eleitorais advertam que esses números são preliminares, a campanha do candidato republicano, John McCain, reconheceu que a mobilização dos eleitores em estados com voto antecipado foi um ponto forte dos democratas.

Seis anos depois da maior reforma no sistema de votação do país, gerada pelo fiasco eleitoral na Flórida em 2000, os analistas vaticinam, sobretudo, uma escassez de máquinas e de cédulas impressas em vários estados-chave na disputa.

De fato, vários grupos cívicos fizeram exigências contra as autoridades estatais em Pensilvânia e Virgínia, argumentando que os estados não realizaram preparativos suficientes perante a possibilidade de uma participação em massa nas urnas.

Nos EUA, cada estado decide seu método de votação.

Cerca da metade dos eleitores usará um sistema de leitura óptica das cédulas, uma terceira parte utilizará telas eletrônicas, e o resto sistemas mecânicos, mas cada método tem seus próprios desafios, segundo especialistas.

Em alguns dos estados com votação antecipada, por exemplo, houve queixas sobre problemas nas telas eletrônicas e com os scanners ópticos, aumentando a confusão e frustração dos eleitores.

Para evitar problemas, centenas de advogados de ambas as campanhas presidenciais foram deslocados a diversos pontos do país para vigiar de perto o processo eleitoral. EFE mp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG