Temendo novos conflitos, cidade chinesa fecha mesquitas por 1 dia

Urumqi (China), 10 jul (EFE).- As autoridades de Urumqi ordenaram o fechamento de grande parte das mesquitas da cidade por hoje, dia de oração para os muçulmanos, devido ao temor de novas tensões étnicas, que já causaram a morte de pelo menos 156 pessoas na capital da província chinesa de Xinjiang.

EFE |

As cinco principais mesquitas da rua Jiefang, um dos cenários dos violentos incidentes do dia 5, permanecem fechadas e foi pedido aos muçulmanos que "rezem em casa".

O imame de uma dessas mesquitas disse à imprensa que o templo permanece fechado "por razões de segurança".

Algumas mesquitas abriram hoje em Urumqi, após quatro dias fechadas pelos enfrentamentos entre chineses da etnia majoritária han e uigures, de religião muçulmana, segundo a agência oficial "Xinhua".

No entanto, responsáveis por assuntos religiosos da região de Xinjiang recomendaram aos crentes que cumpram o "salah" ou reza (um dos cinco pilares do Islã) em seus lares, algo que disseram ser habitual em tempos de pragas ou distúrbios sociais. EFE mz/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG