Urumqi (China), 10 jul (EFE).- As autoridades de Urumqi ordenaram o fechamento de grande parte das mesquitas da cidade por hoje, dia de oração para os muçulmanos, devido ao temor de novas tensões étnicas, que já causaram a morte de pelo menos 156 pessoas na capital da província chinesa de Xinjiang.

As cinco principais mesquitas da rua Jiefang, um dos cenários dos violentos incidentes do dia 5, permanecem fechadas e foi pedido aos muçulmanos que "rezem em casa".

O imame de uma dessas mesquitas disse à imprensa que o templo permanece fechado "por razões de segurança".

Algumas mesquitas abriram hoje em Urumqi, após quatro dias fechadas pelos enfrentamentos entre chineses da etnia majoritária han e uigures, de religião muçulmana, segundo a agência oficial "Xinhua".

No entanto, responsáveis por assuntos religiosos da região de Xinjiang recomendaram aos crentes que cumpram o "salah" ou reza (um dos cinco pilares do Islã) em seus lares, algo que disseram ser habitual em tempos de pragas ou distúrbios sociais. EFE mz/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.