Temendo atentado, Iraque desvia voos de cidade xiita

Por Khaled Farhan NAJAF, Iraque (Reuters) - As autoridades iraquianas redirecionaram o tráfego aéreo sobre Najaf por causa de supostos planos de insurgentes sunitas para lançar aviões sequestrados contra um dos principais templos xiitas da cidade.

Reuters |

Um porta-voz do Ministério da Defesa negou na quarta-feira que tenha sido desbaratado um complô para atacar a mesquita do imã Ali, nessa cidade do sul do Iraque, embora autoridades locais tenham confirmado que informações desse tipo estavam circulando já há um ano.

Uma fonte oficial de contraterrorismo dos EUA disse que há certa substância nesses relatos.

"Há indicações de que esse complô estava, de fato, em andamento. Pode não ter ido tão longe, mas obviamente é uma questão-chave que as pessoas estão examinando agora", disse essa fonte em Washington.

"E os iraquianos estão se empenhando para assegurar que todos os que estão conectados a isso sejam apanhados."

O aeroporto de Najaf, que recebe muitos peregrinos do Irã, Kuweit, Bahrein e outros países, está fechado há uma semana, por ordens do Conselho de Segurança Nacional, segundo o Ministério dos Transportes. O aeroporto de Bagdá chegou a também ser fechado, mas logo foi reaberto.

"O aeroporto de Najaf fica tão perto do centro da cidade que o torna diferente de outros aeroportos", disse Ismail a jornalistas em Najaf. "Todas as rotas (aéreas) até o aeroportos foram alteradas para que não cheguem perto de Najaf", afirmou ele, sem detalhar.

O afluxo de peregrinos xiitas a Najaf e outras cidades sagradas do Iraque cresceu desde o fim do regime sunita de Saddam Hussein, em 2003. Em 2006 e 2007, o país viveu uma quase guerra civil entre a maioria xiita e a minoria sunita, e uma insurgência sunita ainda tenta reavivar essa chama, num momento especialmente vulnerável após as inconclusivas eleições de 7 de março.

O general Mohammed al Askari, porta-voz do Ministério da Defesa, negou que insurgentes ligados à Al Qaeda tenham planejado atacar o templo, onde os xiitas dizem ser o local do sepultamento do imã Ali, primo do profeta Maomé, e também de Adão e Noé.

"Não há tentativa de explodir as coisas nem houve uma tentativa frustrada", disse Al Askari. "Essa notícia não é verdade."

Os ministros de Defesa, Transportes e outras autoridades viajaram a Najaf em meio a queixas sobre o impacto econômico negativo do fechamento do aeroporto.

"Logo será tomada a decisão de reabrir o aeroporto, depois de considerarmos todas as questões de segurança. Não há razão para preocupação. Não vamos permitir que esta cidade e seus templos sagrados se tornem alvos", disse o titular da Defesa, Abdel Qadr Jassim.

(Reportagem adicional de Adam Entous em Washington e Waleed Ibrahim, Muhanad Mohammed, Aseel Kami e Khalid al-Ansary em Bagdá)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG