Tememos o pior, diz pai de brasileira que mora na Nova Zelândia

Dalila Mendes, de 25 anos, está na cidade atingida por terremoto. Até agora, pais não têm nenhuma informação sobre a filha

Wilson Lima, iG Maranhão |

Uma estudante brasileira está incomunicável após o terremoto de 6,3 graus de magnitude que atingiu a cidade de Christchurch, Nova Zelândia.

Desde ontem, Dalila Áurea Fernandes Mendes Chagas, de 25 anos, está sem comunicação com os pais, que moram em São Luís, capital do Maranhão.

Segundo o pai de Dalila Fernandes, José Mendes, o celular da brasileira está fora de área de serviço. Eles também ainda não conseguiram informações sobre a filha na embaixada brasileira na Nova Zelândia. “Estamos aflitos em busca de uma informação. Nossa filha nunca nos deixa sem esse tipo de informação”, disse Mendes.

Dalila mora na cidade de Auckland, a maior da Nova Zelândia. Porém, a última informações dos pais dela é que ela viajara para Christchurch. A brasileira mora na Nova Zelândia há aproximadamente um ano.

Ela participa de um programa de intercâmbio cultural promovido por um curso de pós-graduação. Dalila Áurea está com o marido, Leonardo Chagas, e uma amiga, identificada apenas como Luciana. Os dois também estavam incomunicáveis ate o final da tarde de hoje. “O nosso medo é que o pior tenha acontecido. Desde quando soubemos do terremoto, passamos a procurar novas informações. Até agora, nada”, disse Mendes.

Segundo informações de agências internacionais, pelo menos 65 pessoas morreram após o tremor de 6,3 graus. Outros 100 moradores estão desaparecidos até o momento. Após o terremoto, prédios, hotéis e igrejas foram danificados.

    Leia tudo sobre: Nova ZelândiaChristchurchterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG