Teerã dará seu ponto de vista sobre crises no Oriente Médio

Teerã, 13 abr (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, afirmou hoje que seu país explicará aos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e à Alemanha sua postura sobre a solução das crises no Iraque e no Oriente Médio.

EFE |

Em entrevista coletiva em Teerã com o ministro de Exteriores filipino, Alberto Gatmaitan Romulo, Mottaki descartou, no entanto, uma reunião direta entre ele e a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, durante um encontro previsto para este mês no Kuwait sobre o restabelecimento da segurança no Iraque.

"Teerã está preparando um conjunto de propostas sobre a solução das crises na região e outros problemas internacionais, e acreditamos que será útil para todo o mundo, inclusive para o grupo dos 5+1 (Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França e China, mais a Alemanha)", disse o chefe da diplomacia iraniana.

Mottaki, entrevistado pela agência "Irna", não se referiu à disputa do Irã com a comunidade internacional devido à recusa de Teerã em abandonar seu programa nuclear, especialmente o enriquecimento de urânio, que pode ter fins tanto militares quanto pacíficos.

Lideradas pelo presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, as autoridades do país deixaram claro por várias vezes que não negociarão mais sobre seu programa atômico, por considerar que o enriquecimento de urânio é "um direito natural e legítimo do povo iraniano".

O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores iraniano, Mohammad-Ali Hosseini, disse hoje que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) "é o único lugar competente para deliberar sobre o caso nuclear".

Mottaki rebateu mais uma vez as acusações dos EUA contra o Irã de apoiar com armas os grupos insurgentes e as milícias xiitas radicais ativas no Iraque.

O chanceler iraniano reafirmou que, para Teerã, "a única via para solucionar a crise iraquiana é a transferência do dossiê da segurança ao Governo de Bagdá (controlado pelos xiitas) e a fixação de uma data para a retirada (do Exército dos EUA) do Iraque".

Especialistas iranianos e americanos realizaram desde maio três reuniões diretas sobre o Iraque, na presença de autoridades do Governo iraquiano, e, atualmente, os iranianos dizem que estudam um pedido formal de Washington para uma quarta reunião. EFE fa/wr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG