O senador Edward Kennedy, falecido aos 77 anos, teve em vida o desafio familiar de sanear a suja política dos Estados Unidos simbolizada nos últimos 70 anos pelos Bush, afirma nesta quinta-feira o jornal cubano oficial Granma.

"Edward Kennedy conduziu até seu último suspiro o desafio de sua família: sanear a suja política dos Estados Unidos", afirmou o órgão oficial do Partido Comunista de Cuba (PCC), na primeira reação cubana à morte do senador.

O jornal assinalou que, apesar do assassinato de seus dois irmãos, o presidente John F. Kennedy, em 1963, e o aspirante à presidência Robert Kennedy, em 1968, "prevaleceu o respeito aos objetivos dessa família empenhada em mudar a suja política nacional e internacional, simbolizada nos últimos 70 anos, mais do que ninguém, por três gerações dos Bush".

"Apesar de sob a presidência de John Kennedy acontecer a invasão da Baía dos Porcos (1961), a crise dos mísseis (1962) e várias tentativas de magnicídio contra Fidel Castro, o líder cubano reconheceu em um artigo publicado em abril o efeito saneador de sua política", afirma ainda o Granma.

"Kennedy representou uma nova geração de americanos que enfrentava a velha e suja política de homens da laia de Nixon e o derrotou com o esbanjar do talento político", escreveu Fidel na ocasião.

O jornal ressaltou ainda "que não se deve esquecer da decisiva participação dos Kennedy na vitória eleitoral de Barack Obama".

cb/cn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.