Ted Kennedy se recupera após mal-estar em festa

Médicos informaram no início da noite desta terça-feira que o senador Edward Kennedy, que passou mal durante um banquete com o novo presidente americano, Barack Obama, passa bem e que o incidente teria sido causado por cansaço. Depois de fazermos alguns exames, nós acreditamos que o incidente foi causado por uma simples fadiga, afirmou o médico Edward Aulisi em um comunicado divulgado pelo Washington Hospital Center.

BBC Brasil |

"O senador Kennedy está acordado, conversando com a família e se sentindo bem", disse o médico.

Ted Kennedy, como o senador é conhecido no país, foi diagnosticado no ano passado com um tumor no cérebro. Ele havia acompanhado normalmente a posse de Obama antes do almoço.

Mas, segundo um assessor do Congresso, aparentemente começou a sofrer convulsões durante o banquete e teve que ser levado para um hospital.

Convulsão
Segundo o senador democrata Jay Rockefeller, no momento em que Kennedy começou a se sentir mal, houve um pedido para se fazer silêncio e algumas luzes foram apagadas.

"As luzes foram apagadas para reduzir o calor, acho", disse Rockefeller.

O senador Orrin Hatch afirmou à rede de televisão CNN que Kennedy teve uma convulsão e que a situação foi "assustadora"
"Parecia uma convulsão e era dolorosa para ele", disse o senador, que é amigo de Kennedy.

Mas, segundo Hatch, quando estava sendo socorrido pela ambulância, "Kennedy olhou e deu aquele velho sorriso irlandês que eu sei que significa que as coisas estão indo bem".

Kennedy, que é irmão do presidente John Kennedy, assassinado em 1963, já passou por tratamentos de radioterapia e quimioterapia por causa de seu câncer.

Durante um breve pronunciamento no almoço, Obama indicou que foi informado sobre o que ocorrera com Ted Kennedy. "Sei que, quando eu estava fora do salão, houve preocupação a respeito de Ted", disse.

Obama descreveu o senador como um "guerreiro da justiça". "Eu estaria mentindo se não dissesse que, neste momento, uma parte de mim está com ele."
Chefe do clã
Eleito em 1962, Kennedy é o segundo mais antigo representante do Senado americano, perdendo apenas para o senador Robert Byrd, da Virgínia Ocidental, que está há 45 anos na função.

Ele é também um dos mais influentes membros do Partido Democrata e tornou-se o líder do clã Kennedy depois que seus três irmãos mais velhos morreram.

O primogênito, Joseph, foi morto em um acidente de avião durante a Segunda Guerra Mundial, o presidente John Kennedy foi assassinado em 1963 e seu irmão, Robert, foi assassinado em 1968.

No Senado, Ted Kennedy se destacou por ter participado de votações históricas, como o Ato de Direitos Civis, de 1964, e por sua defesa de temas populares entre a ala mais à esquerda do Partido Democrata, como salário mínimo e seguro saúde.

Em maio do ano passado, o senador foi internado, depois de ter convulsões, e os médicos confirmaram que ele tinha um tumor.

Em junho, ele foi submetido a uma operação, mas posteriormente retomou seu trabalho no Senado.

O senador Robert Byrd também não se sentiu bem durante o almoço, e foi retirado em uma cadeira de rodas. Seu estado de saúde, de acordo com a imprensa americana, é bom, no entanto.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG