Roma, 13 abr (EFE).- Cerca de um terço (30%) dos mil edifícios da região italiana de Abruzzo, atingida por um terremoto de 5,8 graus na escala Richter há uma semana, foram declarados inabitáveis após as inspeções realizadas por técnicos do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil.

O dado, noticiado hoje pela imprensa italiana, é o primeiro a ser divulgado desde que tiveram início as operações de verificação dos edifícios afetados pelo tremor, que, até o momento, deixou 294 mortos e aproximadamente 55 mil desabrigados.

Dos cerca de mil prédios já inspecionados, 50% foram liberados para reocupação, 30% foram declarados inabitáveis e 20% poderão ser novamente habitados após pequenas reformas.

Por enquanto, os técnicos responsáveis pelas inspeções visitaram apenas a periferia da cidade de L'Aquila, capital de Abruzzo e uma das mais afetadas pelo terremoto, e núcleos populacionais próximos.

Nos próximos dias, serão inspecionados as construções do centro histórico de L'Aquila e das outras localidades da região.

Escolas e imóveis residenciais têm prioridade no trabalho de verificação, já que as autoridades querem que a vida da população volte ao normal o mais rápido possível.

Nesta segunda-feira, o forte vento e a chuva que cai em Abruzzos fizeram a Defesa Civil acelerar o envio de cobertores aos 106 acampamentos montados para os desabrigados. EFE mcs/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.