Técnica que retira vitamina B2 conserva cerveja por mais tempo

Pesquisadores da Universidade Técnica de Dortmund, Alemanha, criaram um material que pode aumentar o tempo de conservação da cerveja ao retirar a vitamina B2, ou riboflavina, do produto. A riboflavina pode causar mudanças no sabor da cerveja se a bebida for exposta à luz.

BBC Brasil |

Bebidas que contém riboflavina costumam ser vendidas em embalagens translúcidas e, por isso, os efeitos da luz tendem a afetar sua estocagem no longo prazo.

Para resolver o problema, os cientistas alemães criaram uma "armadilha" com um polímero que tem minúsculas fendas que capturam as moléculas de riboflavina, em uma técnica chamada impressão molecular.

Segundo o pesquisador Borje Sellergren, o processo envolve a criação de uma cavidade com a forma das moléculas da riboflavina em um polímero para removê-las da bebida.

Estas cavidades no polímero são feitas em grandes quantidades e então capturam de forma seletiva a riboflavina quando os polímeros são embebidos na cerveja.

De acordo com os pesquisadores, o mesmo processo pode ser utilizado para aumentar tempo de conservação do leite.

"O próximo passo é mostrar para as indústrias da cerveja e alimentícia que temos esta capacidade agora", acrescentou o pesquisador.

Anticorpos
A ideia imita sistemas biológicos como o dos anticorpos, que usam o sistema conhecido como "chave e fechadura" para eliminar bactérias ou vírus de um organismo.

O trabalho dos cientistas em Dortmund foi encomendado pela cervejaria holandesa Heineken, mas, de acordo com Sellergren, o conceito não se limita apenas à cerveja ou ao leite.

"Existem vários exemplos onde este tipo de absorção pode ser usado para a remoção de compostos específicos e não desejados em alimentos - sabores, impurezas, pesticidas e agentes que podem estragar alimentos", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG