Tartaruga gigante pode ter gerado descendentes

Depois de décadas de celibato, a tartaruga apelidada de George Solitário parece finalmente ter livrado a espécie gigante Pinta de Galápagos do risco de extinção - foram encontrados ovos que podem gerar descendentes. De acordo com biólogos, George, que nos últimos 36 anos não demonstrou interesse em se reproduzir, surpreendeu a todos ao copular com uma de suas duas companheiras de cativeiro.

BBC Brasil |

Tratadores do parque em Galápagos encontraram um ninho com diversos ovos e guardaram três deles numa encubadora.

A expectativa sobre os possíveis descendentes da tartaruga gigante deve durar cerca de quatro meses.

Em uma nota do parque, cientistas afirmam que ainda que três desses ovos sejam férteis, e as tartarugas que nascerem sobrevivam, seriam necessárias várias gerações genéticas para ter uma tartaruga Pinta puro-sangue, até séculos.

Os cientistas tinham tentado de tudo, de inseminação artificial a assistir machos mais jovem copular, mas nada funcionou.

Acredita-se que a espécie tenha sido praticamente levada a extinção por pescadores e piratas que matavam as tartarugas para comer.

O Equador afirma que as ilhas, que abrigam cerca de 20 mil tartarugas gigantes de várias espécies, estão em risco.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG